Sábado, 08 de agosto de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 09/12/2019

Grande em janeiro, Josué Neto chega pequeno em dezembro

O 'inferno astral' do presidente da ALE/AM

Grande em janeiro, Josué Neto chega pequeno em dezembro Presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Josué Neto

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O deputado Josué Neto (PSD), presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas termina 2019, apequenado, em relação a janeiro, pondo em risco os principais projetos políticos que traçava com aquele horizonte.

 

No começo do ano, com grande habilidade, Josué se elegeu presidente da ALE/AM, pela terceira vez. Ele não teve concorrência e foi aclamado por outros 23 deputados.

 

Neto montou, então, uma força paralela ao governo estadual, com base e condições de independência.

 

Com três mandados de presidente, Josué Neto vislumbrava quatro possibilidades, com grande perspectiva de poder: reeleição à presidência da Casa; conselheiro do TCE-AM; candidato à Prefeitura de Manaus; e/ou assumir o governo do estado, numa eventual cassação do mandato do governador Wilson Lima (PSC).

 

Para chegar à prefeitura, Josué tentou usar a mesma fórmula que chegou à Presidência do Legislativo: queria o apoio de todas as forças políticas do Amazonas.

 

Mas, os tropeços vieram quando tentou agregar uma base para impor resistência ao governo na ALE-AM.

 

Aproveitando a abertura que Wilson dava ao Legislativo [ a ponto de custar a nomear um líder na Casa], o presidente Josué tomou para si o protagonismo de negociações e impôs derrota ao governo na greve dos professores, por exemplo.

 

Depois, veio um conjunto de matérias de ajuste fiscal que Wilson precisava e que o presidente se posicionou contra.

 

O processo eleitoral que pedia a cassação de Wilson, no caso de Nhamundá, era também uma perspectiva de poder de Josué. O processo não andou.

 

Mas, a gota d’água, que tirou Wilson Lima do sério, foi a crítica de Josué, sobre a inauguração do Prosai-Maués. “Josué era governo de dia e à noite conspirava contra”, era o que se ouvia no Palácio do Educandos.

.

O distanciamento do governo põe ainda em xeque a vaga para o TCE e compromete um quarto mandato de presidente da ALE-AM.

 

Ainda na construção de sua candidatura a prefeito, Josué Neto articulou um partido e ganhou o PTB, de Roberto Jefferson, contando com o apoio do agora secretário Estadual de Política Fundiária, Ricardo Francisco. Porém, perdeu força por sequer ter obtido alforria de seu PSD, do senador Omar Aziz, e já ter desistido de sua pré-candidatura a prefeito.

 

Sem protagonismo em 2020, o PTB já não tem mais interesse por ele.

 

À procura de uma válvula de escape, o presidente da ALE/AM deu até uma guinada ideológica e agora lançou asas para o presidente da República, apoiando até o plantio de cana de açúcar, seis meses depois de ter feito uma ação ambientalista no estacionamento da Casa de plantio de árvores.

 

Elevando o grau de sua guinada à direita, esta semana, Josué Neto afirmou em discurso na Assembleia que Bolsonaro foi o presidente que mais fez pelo Amazonas, apesar de o capitão não ter cumprido promessas de campanha como a BR 139 e de manter os incentivos da Zona Franca de Manaus.

 

Para piorar o seu 'inferno astral', Josué ainda foi provocar a torcida do Flamengo, na disputa da Libertadores, em que aparece vestindo, em uma postagem com a camisa do 'Rivasco" e foi, fulminantemente, detonado pelos rubro negros nas redes sociais.  

Sobe Catracas

BOSCO SARAIVA, deputado federal (AM)

Foi nomeado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, membro do Grupo de debate sobre pauta ambiental para o Brasil

Desce Catracas

NATHAN MACENA, prefeito do Careiro

Convidou toda a população para festa de inauguração de Centro de Covid e evento foi barrado pelo TCE, por infringir regras de prevenção