DeAmazônia

MENU
Atualizado em 05/12/2019

Cosama realiza força-tarefa no abastecimento de água em Codajás

Trabalho se concentra na avaliação dos reservatórios, redes de distribuição e nos poços de captação de água da cidade

Cosama realiza força-tarefa no abastecimento de água em Codajás Cosama realiza força-tarefa em Codajás (Foto: Filipe Augusto)

DEAMAZÔNIA CODAJÁS, AM - Uma equipe de técnicos especialistas da Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama) está no município de Codajás (distante 297 quilômetros de Manaus) para avaliar e solucionar de maneira urgente alguns problemas no sistema de abastecimento de água no município.

 

O trabalho se concentra na avaliação dos reservatórios, nas redes de distribuição e nos poços de captação de água existentes na cidade. Ainda como parte das atividades, está a análise estrutural na encanação e da rede de distribuição, bem como o controle de elementos químicos para o tratamento da água.

 

Segundo o presidente da Companhia, Armando do Valle, essa força-tarefa é uma ação necessária em Codajás para trazer resultados positivos, por meio da elaboração de relatórios técnicos que analisem objetivamente os principais desafios na cidade.


“Existem inúmeros desafios a serem superados, que foram deixados por gestões anteriores. É orientação do governador Wilson Lima atuar intensamente nos municípios, e temos o comprometimento e uma equipe qualificada para solucionar os problemas, como por exemplo, a situação no bairro Laguinho, em Codajás”, ressalta Armando.

 

Vistoria

Durante a vistoria realizada no bairro Laguinho, feita por engenheiros da Companhia, foi realizado o trabalho de medição de pressão no sistema de abastecimento do reservatório e na distribuição de água.

 

Após a análise, foi detectado que a existência de ligações clandestinas e o uso de bombas elétricas ligadas diretamente na rede estavam impedindo o fornecimento de água contínuo para a casa de alguns moradores, principalmente aqueles mais distantes do início da rede.

 

Conscientização da população

Para o agente da Cosama de Codajás, Rodrigo Pereira, a presença da comitiva técnica no município reforça e identifica o parâmetro dos trabalhos que precisam ser executados, mas é necessário também o trabalho de conscientização da população, que tem sido feito desde o início da nova gestão e que deverá ser contínuo.

 

“Queremos novamente reforçar a conscientização dos moradores em relação ao uso da água, pois há muito desperdício. Existem residências que usam meios ilegais para ter água em casa, prejudicando a vizinhança. Além disso, enfatizamos que o usuário precisa denunciar tais irregularidades”, afirmou Pereira.

 

A comitiva técnica na cidade chamou a atenção de alguns moradores de Codajás, como é o caso do comerciante Marionilson Castro, que disse que a presença da Cosama mostra que estão trabalhando e se esforçando para reverter a falta de água, que por muito tempo foi um fato pertinente na cidade.

 

“Desde o início do ano percebemos a mudança da Cosama, mas sei que não é de uma hora para outra que o problema vai ser resolvido. Eu espero realmente que melhore para todos, pois aqui onde moro deu certo e pode dar certo nos demais bairros”, frisou o comerciante.

 

Atendimento intensificado

Em paralelo às atividades operacionais, está sendo realizado o atendimento comercial aos usuários referente aos valores de faturas, permitindo renegociar as dívidas dos clientes e oferecendo propostas de parcelamento para os débitos existentes.

 

Outra forma de atendimento prestada é através da Ouvidoria da Cosama. Por se tratar de um recurso novo da atual administração estadual, a ação busca divulgar aos usuários que o canal está aberto para receber reclamações, denúncias, sugestões, elogios e solicitações, por meio dos números 98855-1000 (WhatsApp) e 4009-1960, todos objetivando aprimorar o atendimento público.

Sobe Catracas

DELISSA VIEIRALVES FERREIRA, promotora de Justiça

Ação Civil Pública, em conjunto com a promotora Nilda Silva, derrubou na Justiça decisão da Seduc de militarizar Escola Tiradentes, em Manaus

Desce Catracas

RAYLAN BARROSO, prefeito de Eirunepé

Foi cobrado pelo MPF para fazer processo seletivo, pagar funcionários indigenas e regularizar merenda escolar