DeAmazônia

MENU
Atualizado em 04/12/2019

Zé Ricardo e Bosco Saraiva realizam audiência pública sobre extinção de registro de jornalistas

Medida provisória do governo Bolsonaro extingue registro profissional a 14 profissões

Zé Ricardo e Bosco Saraiva realizam audiência pública sobre extinção de registro de jornalistas José Ricardo e Bosco Saraiva querem debater MP 905/2019, que acaba com a obrigatoriedade de registro profissional de jornalistas (Foto: Divulgação)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Durante a reunião da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio Serviço (CDEICS), na manhã desta quarta-feira (4), foi aprovado requerimento subscrito pelo deputado federal José Ricardo (PT/AM), de autoria do deputado Bosco Saraiva (Solidari/AM), para realização de Audiência Pública para debater a Medida Provisória (MP) 905/2019, que prevê a extinção da obrigatoriedade do registro para a atuação profissional para jornalistas e publicitários.

 

Editada em 12 de novembro, a Medida Provisória 905 institui a carteira de trabalho verde e amarela, retirando ainda mais direitos da classe trabalhadora entre 18 e 29 anos, concedendo isenção tributária às empresas e extinguindo a regulamentação de diversas profissões, inclusive, a dos jornalistas, prevista no Decreto-Lei 972/1969; dos radialistas, de acordo com a Lei 6.615/1978; e dos publicitários, de acordo com a Lei 4680/1965.

 

“É muito importante esse debate. É momento de lutar contra essa MP, que retira direitos, fragiliza as relações de trabalho e altera vários dispositivos da CLT, uma verdadeira reforma trabalhista, que prejudica os trabalhadores e várias categorias profissionais. Da nossa parte, nos manifestarmos contrário a essa MP, juntamente com a bancada do PT, com várias emendas apresentadas. Essa luta deve ser de todos e todas, para fazer pressão, principalmente, aos parlamentares federais, para que essa Medida seja derrubada”, declarou José Ricardo.

 

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e os Sindicatos de Jornalistas Profissionais em todo o país estão mobilizados, desde a entrada em vigor da MP 905, realizando reuniões e assembleias em defesa da profissão.

 

Em nota, a presidência da Fenaj declara que “após o fim da exigência do diploma, o registro é a única regulamentação do jornalismo profissional no país. É papel de todos os trabalhadores da categoria lutar para que a produção de notícias seja feita com responsabilidade, ética e o conhecimento que os jornalistas adquirem na formação profissional”.

 

Leia também >> Jornalistas do AM realizam ato contra extinção do registro profissional nesta quarta (4)

Sobe Catracas

DELISSA VIEIRALVES FERREIRA, promotora de Justiça

Ação Civil Pública, em conjunto com a promotora Nilda Silva, derrubou na Justiça decisão da Seduc de militarizar Escola Tiradentes, em Manaus

Desce Catracas

RAYLAN BARROSO, prefeito de Eirunepé

Foi cobrado pelo MPF para fazer processo seletivo, pagar funcionários indigenas e regularizar merenda escolar