DeAmazônia

MENU
Atualizado em 03/03/2015

Pesquisadores criticam extinção de secretaria de Ciência e Tecnologia do Amazonas

Pesquisadores criticam extinção de secretaria de Ciência e Tecnologia do Amazonas a presidente da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), Helena Nader,

MANAUS – Em carta enviada ao governador do Amazonas, José Melo, a presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, manifesta posição contrária à extinção da Secretaria de Estado de Ciência e Tencologia. De acordo com o documento, a SBPC considera a Secti “de alta relevância para o estado com a maior biodiversidade do planeta”.

 

A extinção da secretaria está prevista na reforma administrativa do governado José Melo enviada à Assembleia Legislativa do Estado na semana passada, e que começa a tramitar nesta terça-feira. O documento foi enviado na semana passada pela SBPC e publicado no site da entidade.

 

No Amazonas, a comunidade científica também se mobiliza para evitar a extinção da secretaria. Neste fim de semana, a reitora da Universidade Federal do Amazonas, Márcia Perales, também se manifestou contra a decisão do governo de incorporar os trabalhos da Secti à Secretaria de Estado de Planejamento, que também vai incorporar a Secretaria de Mineração Geodiversidade e Recursos Hídricos.

 

Nesta terça-feira, os deputados José Ricardo (PT), Luiz Castro (PPS) e Alessandra Campêlo (PCdoB) realizam uma audiência pública na ALE para discutir o tema com a participação de universidades e entidades ligadas à pesquisa, inovação, ciência e tecnologia.

 

 

Ontem,segunda-feira (2), a titular da Secti, Ana Alcídia de Araújo Moraes, e o secretário-executivo da pasta, Edilson de Souza Soares, pediram exoneração dos cargos numa demonstração que também descordam da medida

ABAIXO a íntegra da carta da SBPC ao governador José Melo -

Tags:

Sobe Catracas

CARLOS WIZARD MARTINS, empresário

Bilionário mudou-se de São Paulo para Roraima para administrar rede de apoio a imigrantes venezuelanos, em missão da igreja mórmon 

Desce Catracas

JOSÉ SEVERINO RIBAS, superintendente da Caixa Econômica no AM

Sorteados com casas populares do Minha Casa, Minha Vida, em Parintins, ocupam as residências devido sete anos de demora na entrega da obra