DeAmazônia

MENU
Atualizado em 22/10/2016

Moradores de Campo Verde (MT) criam projeto que iguala salário de vereador ao de professor

Moradores de Campo Verde (MT) criam projeto que iguala salário de vereador ao de professor

G1 | Um grupo de moradores do município de Campo Verde, a 139 km de Cuiabá, protocolou nesta quinta-feira (20) um projeto de lei que iguala o salário dos vereadores ao dos professores da rede municipal para as próximas legislaturas. O projeto, que tem quatro páginas, foi escrito pelo movimento “Juntos por Campo Verde”, formador por moradores do município e assinado pelo vereador Paulo César de Aguiar.

 

 

De acordo com o presidente da Câmara, o vereador Welson Silva (PSDB), não há previsão para que o projeto seja apresentado em plenário. "A assessoria jurídica deve emitir um parecer antes que o projeto siga. No entanto, não vou deixar  de consultar os outros vereadores. Se eles votarem a favor vamos seguir com o trâmite", afirmou.

Caso seja aprovado, o projeto iguala o salário dos vereadores, que hoje recebem R$ 5,8 mil e verba indenizatória, ao dos professores da rede municipal, que ganham R$ 2,1 mil. O projeto deve ser apresentado na Câmara nas próximas sessões.

Como justificava, os moradores alegaram que o projeto visa a redução salarial dos vereadores para que os representantes não caiam na “busca de dinheiro fácil e sim, que os cargos sejam ocupados por cidadãos que desejam realmente contribuir com a melhoria e a mudança da sociedade”.

Para os moradores, o salário pago aos vereadores é alto e não condiz com o trabalho que eles fazem. “Os vereadores só vão uma vez na semana e não fazem nada para o povo”, afirmou a advogada Doralice Silva Pereira.

 

De acordo com o projeto, a economia com a redução salarial poderá ser investida em políticas públicas efetivas à sociedade, “como pavimentação nas ruas, melhorias na saúde, construção de casas populares, educação e outros”, diz trecho da justificativa do projeto.

O vereador Paulo César de Aguiar, diz que não faz parte do movimento, mas abraçou a causa. "É possível exercer um mandato recebendo menos", afirmou. O parlamentar se candidatou à reeleição, mas não venceu. Atualmente, 13 parlamentares exercem mandato.

 

O movimento começou a se organizar após uma fala do presidente da Câmara em uma sessão ordinária. O grupo chegou a protestar nas ruas da cidade pedindo a redução salarial dos parlamentares. 

 

Além de equipar os salários, o projeto veda qualquer acréscimo ou bonificação ao presidente da Câmara, que diferencie o salário dele dos outros vereadores. O projeto também determina que qualquer proposição de aumento salaria dos parlamentares seja feita em audiência pública com a presença de um conselho municipal.

 

Tags:

Sobe Catracas

BI GARCIA, prefeito de Parintins

Vai demitir secretários que não colaboram com medidas de prevenção para evitar morte de pessoas pela pandemia de coronavírus

Desce Catracas

DOCA ALBUQUERQUE, prefeito de Terra Santa

Publicou decreto estranho que anula convocação de aprovados em concurso 2020 e abrirá processo seletivo