Sábado, 15 de agosto de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 15/10/2016

Secretário de Saúde de Manaus se defende de acusações e diz que vai processar Ramos

Secretário de Saúde de Manaus se defende de acusações e diz que vai processar Ramos Homero de Miranda Leão

MANAUS, AM -  Após ser acusado pelo candidato a prefeito de Manaus, Marcelo Ramos (PR), de estar envolvido nos esquemas de desvio da verba pública destinada à saúde, investigados na operação ‘Maus Caminhos’, da Polícia Federal, o secretário de saúde do município, Homero de Miranda, afirmou, por meio de nota divulgada na manhã deste sábado (15), que vai processar quem o calunia ou o difama. Segundo a assessoria do secretário, o jurídico da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) deve entrar com ação processual na próxima semana. A denuncia foi feita por Ramos durante debate da Band Amazonas realizado ontem, sexta-feira.

 

“Tenho uma história de vida voltada para o serviço público e me orgulho dela. Não posso permitir que quem quer que seja a ofenda ou macule. Portanto, vou processar quem me calunia, difama e ofende. Creio na justiça de meu estado e a ela recorrerei, não só por mim, mas especialmente por minha família e servidores da saúde que comigo dividem a realização desse trabalho”, informa a nota. O prefeito disse que se ficasse comprovada a denuncia de Marcelo, o secretário de saúde de Manaus seria demitido no mesmo dia do debate. 

 

Ainda segundo a nota, as acusações de Marcelo são sem fundamento, porque não há irregularidades em processos licitatórios da Semsa, principalmente na citada pelo candidato da coligação ‘Mudança para transformar’, referente à contratação de empresa para realização da campanha anual de vacinação animal.

 

A nota aponta que, em 2014, nos primeiros meses de gestão de Homero frente à saúde do município, ocorreu um pregão para contratação do serviço de vacinadores da campanha antirrábica, prevendo a ampliação dos serviços prestados incluindo, além da contratação dos profissionais, os impressos, gerenciamento de resíduos, supervisão, coordenação da prestação de serviços e registro médico-veterinário, além de benefícios concedidos aos vacinadores, tais como auxílio transporte e alimentação.

 

O secretário informa na nota que, ano passado, decidiu alterar a forma de contratação para o modelo de Processo Seletivo Simplificado com o objetivo de reduzir custos, optando pela modalidade historicamente utilizada pela Semsa, com a contratação direta de 250 vacinadores por tempo determinado, com o custo total de R$ 422.480,00.

 

NOTA

Com indignação e revolta, assisti o candidato a prefeito de Manaus, Marcelo Ramos, enxovalhar meu nome e reputação, ao citar irregularidades inexistentes em processos licitatórios da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), quando se referiu à contratação de empresa para realização da Campanha Anual de Vacinação Animal.



Para que não haja dúvida alguma sobre o que afirmo, esclareço:

A partir de 2013, na gestão do então secretário Evandro Melo, a contratação de vacinadores foi realizada por meio de terceirização de mão de obra, através de processo licitatório na modalidade pregão. O valor do referido instrumento foi de R$ 895.125,00 para a contratação de 250 vacinadores.



Em 2014, nos primeiros meses de minha gestão frente à saúde do município, ocorreu novo pregão para contratação do serviço de vacinadores da campanha antirrábica, prevendo a ampliação dos serviços prestados incluindo, além da contratação dos profissionais, os impressos, gerenciamento de resíduos, supervisão, coordenação da prestação de serviços e registro médico-veterinário, além de benefícios concedidos aos vacinadores, tais como auxílio transporte e alimentação.



A contratação foi feita por meio de processos licitatórios legais vigentes, na modalidade de pregão, com o valor apresentado pela empresa vencedora de R$ 1.741.000,00.



O diferencial de valor dos contratos se deu em razão de serviços adicionais incluindo despesas que não constavam no contrato de 2013. Ambos os contratos foram devidamente licitados em obediência à legislação em vigor, repito.



Por ocasião da campanha seguinte, em 2015, tomei a decisão de alterar a forma de contratação para o modelo de Processo Seletivo Simplificado com o objetivo de reduzir custos, optando pela modalidade historicamente utilizada pela Secretaria Municipal de Saúde, com a contratação direta de 250 vacinadores por tempo determinado, com o custo total de R$ 422.480,00.



Para a campanha seguinte, que ora ocorre, estão sendo gastos R$ 494.388,00 para a contratação de 200 vacinadores.



Esta decisão, de fazer a contratação por Processo Seletivo nos anos de 2015 e 2016, implicou em uma redução de custos significativa em relação ao biênio 2013-2014, trazendo uma economia de R$ 1.719.257,00 aos cofres públicos.



Tenho uma história de vida voltada para o Serviço Público e me orgulho dela. Não posso permitir que quem quer que seja a ofenda ou macule. Portanto, vou processar quem me calunia, difama e ofende. Creio na Justiça de meu Estado e a ela recorrerei, não só por mim, mas especialmente por minha família e Servidores da Saúde que comigo dividem a realização desse trabalho.



Homero de Miranda Leão Neto

Tags:

Sobe Catracas

SORAYA FREIRE, professora da rede municipal de Manaus

Desenvolveu guia sobre trabalho infantil, para professores, e ganhou destaque em matéria publicada no jornal 'Estadão'

Desce Catracas

AGUINALDO RODRIGUES, ex-prefeito de Manaquiri

Justiça Federal condenou o ex-prefeito por não prestar contas de recursos federais destinados à educação no município