DeAmazônia

MENU
Atualizado em 16/11/2019

Em Nhamundá, vice processa o prefeito, diz jornal

Mantegão ingressou com liminar para assumir prefeitura na ausência de Nenê Machado

Em Nhamundá, vice processa o prefeito, diz jornal Prefeito Nenê Machado e vice-prefeito Cleudo Mantegão estão rompidos políticamente - Foto: Reprodução

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O vice-prefeito de Nhamundá, Cleudo Mantengão, ingressou com mandado de segurança com pedido de liminar no Tribunal de Justiça do Amazonas para que possa assumir o cargo na ausência do prefeito Nenê Machado (PROS). A informação é do Jornal Diário do Amazonas.  

 

Nenê estaria impedindo o vice de assumir a prefeitura, na condição de prefeito interino, e dado ordens aos secretários municipais para que não cumprissem as determinações dele em suas viagens.

 

Hoje o braço direito de Nenê, a secretária de Ação Social, Marina Pandolfo, é quem da às ordens quando ele está ausente. Marina é a pré-candidata do prefeita.

 

Segundo o Diário do Amazonas, Cleudo Mantegão tomou conhecimento da arbitrariedade, quando pediu informações na agência bancária de Nhamundá sobre as contas da Prefeitura, para efetuar pagamento de fornecedores, folha de pessoal e gastos do município. “Não tenho autorização do prefeito para autorizar qualquer acesso às contas”, disse o gerente.  

 

Rompido com Nenê há sete meses, após irem às vias de fato dentro do gabinete da Prefeitura, Mantegão ingressou num grupo de pré-candidatos a prefeito em Nhamundá que faz oposição a Machado.

 

Compõe o grupo de oposição ao prefeito, além vice Mantegão, Israel Paulain, Afonso Bindá, Josino Beré e Celiano Soares.

 

REPORTAGEM DO JORNAL DIÁRIO DO AMAZONAS

Sobe Catracas

CAROLINE BRAZ, secretária de Direitos Humanos do AM

Pela primeira vez, Amazonas aderiu a campanha nacional "Não é Não", contra o assédio, com ações por todo o estado no Carnaval 2020

Desce Catracas

VILSON GONÇALVES, prefeito de Aveiro (PA)

Virou alvo da Justiça em processo criminal acusado de recolher ICMS de mercadoria para exportação sem comprovar para Sefa saída do produto