DeAmazônia

MENU
Atualizado em 28/09/2016

MPF-AM pede que Justiça condene Correios por não prestar serviço

MPF-AM pede que Justiça condene Correios por não prestar serviço

G1 | O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM) entrou com uma ação na Justiça para obrigar a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT) a prestar serviços postais a moradores da comunidade rural Vila Lindoia, situada no município de Itacoatiara, a 176 km deManaus. O órgão pediu ainda a condenação da empresa ao pagamento de indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 311.293,50 pelo desamparo de serviços na localidade nos últimos anos.

 

A ação é resultado de representação apresentada ao MPF em 2014 por um morador da vila, que relatou diversos problemas enfrentados em razão da ausência de atendimento dos Correios no local - situado no quilômetro 182 da rodovia AM-010.

 

Segundo dados do censo de 2010, Vila Lindoia possui status de povoado rural junto ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e tem uma população de 1.289 habitantes. Entretanto, durante a apuração do órgão, a empresa pública informou que não poderia instalar uma agência na localidade porque, embora Vila Lindoia tivesse a população superior à suficiente para atendimento pela empresa - mínimo de 500 habitantes - não se configura formalmente como distrito de Itacoatiara.

 

O inquérito civil conduzido pelo MPF indica que a justificativa da EBCT teve como base a Portaria nº 566/2011, que já havia sido revogada por uma nova norma, que alterou esses critérios.

 

Para o MPF/AM, a alegação desconsiderou a política de universalização do atendimento dos serviços postais básicos, como a inviabilidade econômica da exploração do serviço pela EBCT e a predominância do interesse social, que são requisitos para instalação de Agência de Correios Comunitária (AGC).

 

No caso de Vila Lindoia, a principal exigência para implantação de uma agência comunitária – predominância do interesse social – é plenamente atendida, segundo o MPF. "Nem mesmo as dificuldades técnicas que possam surgir para a prestação de serviços básicos são justificativas hábeis a excluir a população de Vila Lindoia. Trata-se de função de Estado à qual não pode a EBCT se furtar, uma vez que está em jogo o acesso à cidadania por mais de 1,2 mil pessoas", ressaltou a procuradora regional dos Direitos do Cidadão, Bruna Menezes, que assina a ação.

 

A ação tramita na 3ª Vara Federal do Amazonas, sob o número 13194-46.2016.4.01.3200. O G1entrou em contato com os Correios na tarde desta terça-feira (27) e segue no aguardo do posicionamento da empresa.

 

Universalização do acesso aos serviços postais

A criação da Agência de Correios Comunitária (AGC) pela EBCT tem como objetivo principal garantir que toda pessoa física ou jurídica, independentemente de sua localização ou condição socioeconômica, tenha acesso aos serviços básicos de correios. O Amazonas conta, atualmente, com 11 AGCs em funcionamento, conforme informações do site oficial dos Correios.

 

As agências comunitárias são mantidas por meio de parceria dos Correios com prefeituras ou organizações locais e prestam à população os serviços postais básicos, tais como recebimento e entrega de carta, cartão-postal, impresso simples ou registrado, além dos serviços de encomenda e telegrama.

 

Consultada pelo MPF durante a apuração, a Prefeitura de Itacoatiara manifestou-se favoravelmente à realização de parceria, caso manifestado interesse pelos Correios, em contribuir para a garantia do acesso da população de Vila Lindoia aos serviços postais.

 

Para o MPF/AM, o dever de universalização desses serviços não deve se restringir à própria rede de unidades dos Correios, mas também por outras formas de prestação desse serviço, inclusive mediante parcerias com órgãos e entidades públicas nos casos em que for comprovadamente impossível instalar uma unidade de atendimento permanente.

Tags:

Sobe Catracas

YANA GADELHA, lutadora de MMA

Vinda do balé clássico, com apenas 10 meses de treinos, amazonense foi eleita "Revelação do Ano", no prêmio Osvaldo Paquetá, considerado o Oscar do MMA

Desce Catracas

JOCIONE SOUZA, prefeito de Novo Aripuanã

Justiça mandou ele pagar gratificações à professores municipais, atrasadas desde os anos de 2011 e 2012