DeAmazônia

MENU
Atualizado em 27/09/2016

Letícia Colin fala de repercussão por viver romance com Marquezine na ficção

Letícia Colin fala de repercussão por viver romance com Marquezine na ficção

O encontro de duas lindas mulheres promete dar o que falar em “Nada será como antes’’, nova série da Globo que estreia hoje. De um lado, o furacão Bruna Marquezine no papel de Beatriz, uma atriz à frente do seu tempo. Do outro, Letícia Colin como Júlia, uma típica representante da alta sociedade carioca dos anos 50. O resultado dessa mistura é uma história recheada de paixão, sensualidade e rivalidade. Em meio à chegada da televisão ao Brasil, os irmãos Júlia e Otaviano (Daniel de Oliveira) disputam o amor da aspirante à diva. A partir daí, o ciúme aparece com toda a força, como um dos sabores deste triângulo amoroso.

 

— Júlia é muito possessiva com o irmão. Com Beatriz, acontece um encantamento, uma relação confusa no que se refere a essa amizade. Ela é um sopro de vida, de espontaneidade e de eletricidade na vida deles. A série é muito feminina e todos os personagens são bem modernos — resume Letícia.

 

Mas a tal modernidade é mostrada com discrição em “Nada será como antes’’, que é ambientada nos anos 50. Beijo lésbico e tórridas cenas de sexo não estão previstas na trama assinada por Guel Arraes e Jorge Furtado.

 

— A série tem uma mão sutil. Não há uma grande cena de sexo, nada que seja aquela coisa... A gente já filmou há um tempo, não sei exatamente o que vai para o ar, o que vão escolher de material — desconversa a atriz de 26 anos.

 

Seduzir ou se deixar arrebatar por Marquezine, dentro ou fora dos sets, ganha uma dimensão grandiosa. E Letícia já sentiu o que é fazer par romântico com a musa de Neymar, que também arrasa corações na internet. Antes mesmo de ir ao ar, o romance entre as duas já causa burburinho.

 

— Bruna tem 15 milhões de seguidores no Instagram, até eu quero saber o que ela está fazendo (risos). Esse é o nosso tempo, sem fobia. As pessoas precisam de polêmica, então é natural o que essa nossa história está gerando. Não faço distinção de sexualidade. Para mim, independe se Júlia e Beatriz são gays ou bissexuais — afirma.

 

Expor o corpo na TV em cenas sensuais também não é algo que cause preocupação em Letícia.

 

— Dialogo de forma natural com a imagem. Gosto de estar me sentindo bonita, mas sem neuroses. A série se passa nos anos 50, os corpos daquela época não são os que a gente considera como bonitos hoje em dia, supermalhados, esquálidos. Isso não é um dado para mim. Em cena, tenho outras coisas com que me preocupar — simplica.

EXTRA GLOBO

Tags:

Sobe Catracas

NATHÁLIA FARIA, karateca amazonense

Do topo do ranking nacional de karatê, atleta chega à seleção brasileira da categoria de base pela terceira vez

Desce Catracas

ADONEI AGUIAR, prefeito de Curinópolis (PA)

Afastado do cargo por acusação de integrar esquema criminoso, STF negou pedido dele para retornar ao cargo