Quinta, 09 de julho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 11/11/2019

TSE determina que WhatsApp revele se empresas fizeram disparos massivos na eleição de 2018

Tim, Vivo, Claro, Algar e Oi já forneceram números para o Tribunal

TSE determina que WhatsApp revele se empresas fizeram disparos massivos na eleição de 2018 (Foto: Reprodução)

O ministro Og Fernandes, corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que o WhatsApp informe se empresas produziram disparos em massa durante as eleições de 2018. Tim, Vivo, Claro, Algar e Oi forneceram números para o Tribunal. No despacho, o ministro dá 72 horas para o WhatsApp informar se os telefones informados fizeram disparos em massa. 

 

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que a decisão "além disso, requer informações sobre se foram tomadas medidas de bloqueio ou banimento das contas citadas entre os dias 14 de agosto e 28 de outubro de 2018. Os números citados pertencem às empresas Quickmobile, Yacows, Croc Services e SMSMarket.

 

A matéria ainda relembra que "reportagem (...) de 2018 mostrou que agências compravam centenas de chips de celular e os registravam em nome de terceiros, de forma fraudulenta, e não em nome próprio ou de seus sócios, como aponta documento de um ex-funcionário da Yacows apresentado por ele à Justiça do Trabalho e obtido pelo jornal."

Sobe Catracas

WILSON JÚNIOR, bailarino e coreógrafo

Amazonense leva para o Brasil a cultura do estado com projeto de oficinas de danças afro-americanas e boi-bumbá

Desce Catracas

ADAIL FILHO, prefeito de Coari

Afroxou medidas de prevenção a Covid-19 e Coari é o município do interior do Amazonas mais infectado, com o dobro de casos de Manacapuru