Quinta, 09 de julho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 04/11/2019

MP/PA propõe melhorias no transporte fluvial do município de Breves

A medida busca assegurar a qualidade na infraestrutura e adequação do transporte fluvial

MP/PA propõe melhorias no transporte fluvial do município de Breves A reunião foi presidida pela promotora de Justiça Vanessa Galvão Herculano. (Foto: Divulgação)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Na manhã desta segunda-feira (4), o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) reuniu com a empresa de Navegação São Domingos LTDA e a Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon) para a assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), com o objetivo de garantir melhorias no transporte fluvial do município de Breves e a segurança de passageiros que dependem dessas embarcações.  A reunião foi presidida pela promotora de Justiça Vanessa Galvão Herculano.

 

O transporte fluvial é um dos principais meios de locomoção de pessoas e cargas na região norte. Segundo uma estimativa feita pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), só em 2017 as embarcações movimentaram um total de quatro milhões de passageiros no estado do Pará.

 

Levando em consideração a importância desse transporte para o desenvolvimento socioeconômico e cultural da população. O MPPA propôs algumas melhorias que devem ser tomadas dentro de 12 meses pela empresa de navegação responsável pelo transporte em Breves. Umas delas é a regularização das embarcações junto a Arcon, que devem ser conduzidas por profissionais habilitados junto à autoridade marítima e devem pilotar devidamente uniformizados e com crachás de identificação.

 

As embarcações também deverão obedecer a algumas restrições como limite de tamanho, velocidade de navegação e fundeio, regras estas que estão estabelecidas nas Normas e Procedimentos da Capitania dos Portos ou Capitania Fluvial. A empresa de navegação deverá disponibilizar coletes salva-vidas em todas as embarcações e assegurar que tenham a bordo todo o material necessário para navegação, salvamento e combate a incêndios.

 

Caso as exigências não sejam cumpridas, a empresa de navegação São Domingos LTDA. deverá pagar uma multa equivalente a R$ 3 mil, por dia de descumprimento, até que todas as exigências do termo sejam efetivadas. O valor arrecadado será revertido para o Fundo Estadual dos Direitos Difusos.

 

 

Sobe Catracas

WILSON JÚNIOR, bailarino e coreógrafo

Amazonense leva para o Brasil a cultura do estado com projeto de oficinas de danças afro-americanas e boi-bumbá

Desce Catracas

ADAIL FILHO, prefeito de Coari

Afroxou medidas de prevenção a Covid-19 e Coari é o município do interior do Amazonas mais infectado, com o dobro de casos de Manacapuru