DeAmazônia

MENU
Atualizado em 21/10/2019

MAP suspende voos em quatro municípios do Amazonas e em um do Pará

Empresa alega que aeroportos de Parintins, Coari, Eirunepé, Tefé e Porto Trombetas, no Pará, estão inadequados

MAP suspende voos em quatro municípios do Amazonas e em um do Pará Aeroporto Julio Belém, de Parintins (Foto: Divulgação)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A partir desta segunda-feira (21/10) até o dia 20 de dezembro, a MAP Linhas Aéreas suspende, temporariamente, as operações de voos nos municípios de Parintins, Coari, Eirunepé e Tefé, no Amazonas, e em Porto Trombetas, no Pará. Em Parintins, o cancelamento valerá para os voos de segundas-feiras e sábados.

 

A MAP divulgou nota, no dia 15 de outubro, informando a medida, e alega que os aeroportos das cidades citadas estão inadequados para pousos e decolagens. “A medida se faz necessária até que sejam realizadas as adequações dos referidos aeroportos quanto a requisitos operacionais exigidos, a cargo de cada uma das administrações aeroportuárias”, diz trecho da nota.

 

A MAP Linhas Aéreas tem sido alvo de constantes reclamações de passageiros por péssimo serviço e atraso e cancelamento de voos, no interior do Amazonas.

 

A empresa afirma, em nota, que a previsão para implementação das adequações, com o retorno dos referidos voos, não deve ultrapassar a data de 20 de dezembro de 2019, quando as obras no aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus/AM também estarão finalizadas.

 

De acordo com a MAP, os usuários que adquiriram passagens aéreas para voos no período que as ações estiverem suspensas, serão contatados pela empresa para “oferta de reacomodação ou reembolso”, como prevê a lei da ANAC (Agência Nacional de Avião Civil).

 

O administrador do aeroporto de Parintins, Jean Jorge Rodrigues, contestou a nota da MAP, de que o aeródromo estaria inadequado. “Já houve retratação em relação a isso [aeroporto inadequado]... Aqui está tudo bem”, afirmou.

Sobe Catracas

GISELE GÓES, estudante da rede pública do Pará

Aluna de escola municipal de Igarapé-Açu, foi a maior pontuadora do Concurso Nacional de Redação da Defensoria Pública da União

Desce Catracas

ANDERSON SOUSA, prefeito de Rio Preto da Eva

MP/AM abriu inquérito para investigar suposta fraude de R$ 2 milhões em descontos nos salários dos servidores e não repassados a previdência municipal