DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/10/2019

Valores recuperados pela Perfuga serão destinados a Hospital de Santarém

Termo de Ajuste de Conduta (TAC) garante aplicação do dinheiro, principalmente, no sistema da central de gás medicinal

Valores recuperados pela Perfuga serão destinados a Hospital de Santarém Hospital Municipal Dr. Alberto Tolentino Sotelo, em Santarém — (Foto: Natashia Santana/Ascom HMS)

DEAMAZÔNIA SANTARÉM, PA - A promotoria de Justiça de Santarém firmou um aditamento ao Termo de Ajuste de Conduta (TAC) que garante a destinação de recursos recuperados por meio da Operação Perfuga em favor do Hospital Municipal de Santarém. Com a alteração, válida a partir desta quinta-feira (10/10), os valores serão aplicados não somente na aquisição de mobiliário, mas também em equipamentos, maquinários e outros de responsabilidade do município, visando a contínua e adequada prestação de serviço público.  

 

Já estão previstas a reforma do sistema da central de gás medicinal e da central de vácuo clínico do Hospital, além da automação do gerador de energia do Hospital, por meio desses recursos. O aditamento foi assinado no dia 8 de outubro com os representantes do Município, Câmara Municipal e Polícia Civil do Pará, tendo como testemunhas os membros do Conselho Municipal de Saúde.

 

O TAC foi assinado em dezembro de 2018 e já garantiu aquisição de material permanente para o hospital, como cadeiras de roda e mobiliário.  A operação Perfuga apura desvios de recursos em gestões da Câmara Municipal de Santarém e outras instituições que recebem verbas públicas.

 

O aditamento prevê que os valores depositados em conta específica serão utilizados pelo Hospital Municipal com exclusividade na aquisição ou revitalização de equipamentos, maquinários e de sistema físico/estrutural, necessários à adequada prestação do serviço, desde que comprovado que se trata de responsabilidade legal ou contratual do município de Santarém.

 

A partir das transferências futuras, o Município terá prazo de 30 dias para utilizar o recurso, diretamente, ou por meio do Instituto Panamericano de Gestão (IPG), ou outra instituição que venha a gerenciar o Hospital posteriormente.

 

Na reunião de assinatura do aditamento foi apresentado resultado de relatório feito pelo Conselho Municipal de Saúde, a pedido do MPPA, com as necessidades mais urgentes do Hospital. Foi concluído que a reforma do sistema de gases medicinais e central de vácuo está entre as prioridades.

 

O sistema foi inaugurado em 2005, e apresenta falhas com necessidade de manutenção constante, que geravam perdas de metade do oxigênio adquirido. Observou-se ainda a necessidade de ampliação da rede para atender as enfermarias e outras unidades dentro do Hospital.

 

O gás medicinal é fundamental para executar diversas funções nos Hospitais, sendo um dos principais o oxigênio. A central de vácuo tem a função de suportar os vapores gerados em procedimentos cirúrgicos e auxilia na manutenção de condição de aspiração adequada para o procedimento ser realizado em segurança.

 

Também foi informado na reunião que um equipamento de automação vinculado ao gerador de energia se encontrava quebrado (modulo USCA Grupo Gerador), e havia um revezamento de quatro funcionários, em escala de plantão, para garantir o acionamento, em caso de queda de energia. Conforme orçamento apresentado pela IPG, a peça custa R$ 22.000,00.

 

O orçamento para a reforma, e aquisição do equipamento, ficam em torno de R$150 mil, para instalação do modulo USCA Grupo Gerador, reforma da central de gás medicinal e da central de vácuo. O prefeito Nélio Aguiar comprometeu-se a complementar o valor que faltar, que é a diferença dos valores já depositados em conta e os orçamentos apresentados.

 

O MPPA ressalta que houve uma preocupação em separar a gestão ao que compete ao poder público e ao que compete à OS que gerencia o hospital, e deve fiscalizar a correta destinação de todos os recursos repassados.

 

Com o investimento realizado para modernização da estrutura hospitalar, se projeta ainda uma economia no custo de oxigênio, evitando o vazamento, além da utilização da mão de obra, antes disponível para a manutenção do gerador, para outras finalidades visando o melhor atendimento à população no Hospital Municipal.

 

Sobe Catracas

RUI MACHADO, artista plástico

Recebeu comenda da Ordem do Mérito Legislativo da Aleam, em reconhecimento por trabalho com coisas da Amazônia

Desce Catracas

RONALDO TABOSA, vereador de Manaus

Pela quarta vez, teve mandato cassado pelo TRE/AM, dessa vez, por infidelidade partidária com o PP