DeAmazônia

MENU
Atualizado em 30/09/2019

Presidente do Peru fecha o Congresso

Presidente dissolveu Congresso, formado a maioria pela oposição, e convocou novas eleições

Presidente do Peru fecha o Congresso presidente do Peru, Martín Vizcarra ( Xinhua- Prensa Presidencial - Andina

As ameaças do presidente do Peru, Martín Vizcarra, de fechar o Congresso, controlado pela oposição, se concretizou na tarde desta segunda-feira (30). Vizcarra decidiu dissolver o Congresso unicameral do país em meio ao processo de escolha pelos parlamentares de seis dos sete integrantes do Tribunal Constitucional, a Suprema Corte do Peru. Ele convocou novas eleições legislativas.

 

O Congresso é composto por 130 parlamentares ( congressistas) e tem um mandato de cinco anos, mesmo tempo do mandato do presidente do país.  

 

"De acordo com a Constituição Política do Peru, decidi dissolver constitucionalmente o Congresso e convocar eleições para o Congresso da República; esse é um ato constitucional previsto no artigo 134 da Constituição", afirmou Vizcarra em mensagem televisionada em rede nacional.

 

“Estou dando uma solução democrática e constitucional ao impasse que enfrentamos há meses ao permitir que os cidadãos definam nas urnas o futuro do país”, completou o presidente. Vizcarra era o vice presidente que assumiu em março de 2018 com a renuncia do presidente Pedro Pablo Kuczynski o PPK, que enfrentava  processo de impeachment no Congresso.

 

Dominado pela oposição liderada pela direitista Força Popular, de Keiko Fujimori - candidata derrotada nas eleições de 2016, o presidente tenta impedir que o parlamento indique quase a totalidade do Tribunal Constitucional. Vizcarra alega negação ‘tácita’ de voto de confiança que lhe teria aberto caminho para fechar Parlamento.

 

Candidata derrotada nas eleições presidenciais de 2016 e filha do ex-presidente Alberto Fujimori, Keiko está presa e sob investigação por sua ligação com o escândalo de corrupção envolvendo a empreiteira brasileira Odebrecht.

 

O anúncio da dissolução do Congresso não impediu que o processo de escolha dos novos integrantes do Tribunal Constitucional seguisse. Foi aprovado por 87 votos o nome de Gonzalo Ortiz de Zevallos Olaechea, primo do presidente do Parlamento, Pedro Olaechea.

Com informações de O Globo.

Sobe Catracas

DELISSA VIEIRALVES FERREIRA, promotora de Justiça

Ação Civil Pública, em conjunto com a promotora Nilda Silva, derrubou na Justiça decisão da Seduc de militarizar Escola Tiradentes, em Manaus

Desce Catracas

RAYLAN BARROSO, prefeito de Eirunepé

Foi cobrado pelo MPF para fazer processo seletivo, pagar funcionários indigenas e regularizar merenda escolar