Sexta, 29 de maio de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 27/09/2019

Temporal inunda ruas de Santarém, causa naufrágio e derruba muro de universidade

Chuva forte durou mais de duras horas e ocasionou estragos no trânsito; assista os vídeos

Temporal inunda ruas de Santarém, causa naufrágio e derruba muro de universidade Muro da Universidade da Amazônia (Unama) desabou no momento do temporal (Foto: Divulgação)

DEAMAZÔNIA SANTARÉM, PA - Um forte temporal, que iniciou por volta de 9h30 desta sexta-feira (27/9) e durou mais de duas horas, inundou as ruas de Santarém, oeste do Pará, e fez com que os muros da Universidade da Amazônia (Unama) e do Colégio Dom Amando desabassem. A forte chuva causou ainda o naufrágio de um barco de pesca no rio Tapajós. Não foram registradas vítimas.

 

A chuva ocasionou também estragos no trânsito e fez com que bueiros ficassem entupidos. As informações foram confirmadas pela Defesa Civil do Pará.

 WhatsApp Image 2019-09-27 at 15.51.15

Entre os pontos críticos, no cruzamento das avenidas Cuiabá e Borges leal, carros, motocicletas, bicicletas e pedestres tiveram dificuldades para trafegar. Os motoristas passavam rápido para não correr o risco de terem os carros invadidos pela água.

 

Em vários pontos da cidade árvores foram derrubadas com o forte vento, como na Praça Gigi Alho, na orla de Santarém. 

 

A Defesa Civil informou que algumas demandas foram atendidas pelos profissionais da Secretaria Municipal de Infraestrutura  (Seminfra), com o apoio da Defesa Civil, que monitora os pontos afetados.

 

INCÊNDIO

No momento do temporal, foi registrado ainda pelo Corpo de Bombeiros um incêndio em uma residência, localizada em Santa Maria do Eixo Forte, a aproximadamente 10 km da cidade, pela rodovia Fernando Gulhon.

WhatsApp Image 2019-09-27 at 16.57.26

ASSISTA OS VÍDEOS 

Sobe Catracas

PAULO BARRUDADA, empresário

Fez parceria com a Hemopa, oferecendo diárias grátis em hotel, a doadores de sangue de Santarém, visando incentivar aumento de bolsas

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru

Afrouxou em medidas restritivas e não decretou lockdown, mesmo cidade tendo mais de 2 mil casos de covid-19 e 84 mortes.