DeAmazônia

MENU
Atualizado em 16/09/2019

Prefeitura de Belém e TCM firmam convênio para auditar aplicação de recursos internacionais

A assinatura do convênio aproxima ainda mais a relação entre a gestão municipal e o TCM

Prefeitura de Belém e TCM firmam convênio para auditar aplicação de recursos internacionais O ato foi assinado pelo prefeito Zenaldo Coutinho e pelo presidente do TCM, Sérgio Leão. (Foto: Divulgação)

DEAMAZÔNIA BELÉM, PA - Na manhã desta segunda-feira, 16, a Prefeitura Municipal de Belém e o Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM) assinaram convênio para a realização de auditorias relacionadas aos padrões exigidos pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no Programa de Saneamento Básico da Bacia da Estrada nova (Promaben), sob o contrato de empréstimo número 3303 OC/BR.

 

O ato foi assinado pelo prefeito Zenaldo Coutinho e pelo presidente do TCM, Sérgio Leão, e garante cooperação técnica visando à realização de auditorias externas de acordo com as Normas Internacionais das Entidades Fiscalizadoras Superiores (ISSAIs) e requerimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), durante a execução do Promaben II.

 

Contrato

O contrato Promaben de número 3303 foi firmado com o próprio BID, em 28 de dezembro de 2017, e prevê o investimento total de US$ 250 milhões, dos quais US$ 125 milhões são de responsabilidade do BID e os outros US$ 125 milhões se referem à contrapartida da Prefeitura de Belém.

 

Para o prefeito Zenaldo Coutinho, a assinatura aproxima ainda mais a relação entre a gestão municipal e o TCM. “Estou muito feliz com a assinatura, pois com ela avançamos na transparência e na possibilidade do acompanhamento direto do Tribunal de Contas, desde o início, na elaboração, formulação e durante a execução do projeto”, avaliou Zenaldo.

 

“A transparência é ‘ao vivo’, no acompanhamento e monitoramento da obra, para que tenhamos uma melhor avaliação dos gastos públicos, alcançando os resultados que a população quer”, frisou o prefeito.

 

Termos

No parágrafo único, o convênio versa sobre os termos do Plano de Trabalho e do Termo de Referência, os quais os contratantes acatam com a assinatura. O município fica responsável em encaminhar e disponibilizar, de acordo com o Termo de Referência de Auditoria, toda a documentação e informações, bem como franquear o acesso a instalações, equipamentos e outros meios que se fizerem necessários às verificações e inspeções, de acordo com as solicitações demandadas por equipes técnicas do Tribunal de Contas.

 

“Auditar e emitir o relatório no prazo estipulado no Termo de Referência de Auditoria, sendo que essa data deverá ser o suficiente oportuno para permitir o cumprimento dos prazos contratuais, conforme o artigo 8.04 do Contrato de Empréstimo número 3303/OC-BR”, informa um trecho do documento referente às responsabilidades do TCM no convênio firmado.

 

De acordo Sérgio Leão, somente 12 Tribunais de Contas estão habilitados a auditar projetos financiados com recursos estrangeiros. “Fomos habilitados pelo BID para realizar as auditorias financeiras em projetos financiados pelo banco”, explicou. A habilitação técnica junto ao Banco Interamericano só foi possível após um processo de credenciamento do próprio TCM do Pará.

 

“A partir de agora, qualquer projeto contemplado com recursos do BID, o Tribunal tem a capacidade de fazer o que, antigamente, era feito por uma auditoria externa. Hoje, o Tribunal assume esse papel, e agora, faremos o acompanhamento simultâneo de projetos com recursos internacionais”, reforçou Leão.

 

O convênio firmado se inicia em 16 de setembro de 2019 e prossegue até 30 de abril de 2023, com a possibilidade de prorrogação por igual período.

 

Sobe Catracas

SANDRO PUTNOKI, empresário

Compositor de toadas, vai receber título de Cidadão do Amazonas, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), este mês

Desce Catracas

JOAQUIM NETO CAVALCANTE, ex-prefeito de Eirunepé (AM)

TCE/AM publicou acórdão cobrando R$ 38,2 milhões dele por irregularidades na contas da Prefeitura de 2016