Sábado, 11 de julho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 13/09/2019

Batalhão Ambiental apreende 4 toneladas de pirarucu na Panair, em Manaus

Material apreendido será doado para instituições filantrópicas de Manaus.

Batalhão Ambiental apreende 4 toneladas de pirarucu na Panair, em Manaus Um homem comercializando o pirarucu foi preso. Foto

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A Polícia Militar do Amazonas (PMAM), por meio do Comando de Policiamento Ambiental, apreendeu na manhã desta quinta-feira (12/09) quatro toneladas de pescado ilegal no terminal pesqueiro na feira da Panair, bairro Educandos, zona sul. Durante a ação, um homem de 48 anos foi preso e confessou que estava comercializando o pirarucu no local. O material apreendido será doado para instituições filantrópicas de Manaus.

 

Conforme o capitão Rozival Batista, os policiais militares realizavam fiscalização de rotina quando avistaram uma embarcação retirando mantas de pirarucu do porão. De imediato, a guarnição realizou a abordagem e constatou que o homem não tinha autorização do material.

 

“A equipe fez a retirada do pescado da embarcação, apreendemos o material, conduzimos o proprietário para a delegacia, onde ele vai responder pelo crime. Em depoimento o suspeito disse que sabia que estava fazendo pesca ilegal”, informou.

 

O capitão disse ainda que a maioria das apreensões realizadas pelo batalhão decorre de denúncias feitas para o telefone (92) 98842-1553.

 

De acordo com a delegada Carla Biaggi, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), o proprietário da embarcação foi autuado em flagrante pelo crime de pesca ilegal, onde a pena varia de um a três anos de prisão.  Uma fiança foi arbitrada, o suspeito pagou e foi liberado. O homem vai responder pelo crime na Justiça.

Sobe Catracas

WILSON JÚNIOR, bailarino e coreógrafo

Amazonense leva para o Brasil a cultura do estado com projeto de oficinas de danças afro-americanas e boi-bumbá

Desce Catracas

HERIVÂNEO VIEIRA, prefeito de Humaitá

MP/AM denunciou ele na Justiça por usar páginas oficiais da Prefeitura para fazer propaganda pessoal