DeAmazônia

MENU
Atualizado em 10/09/2019

Polícia desarticula quadrilha que aplicava golpes pela internet de dentro de presídio em MT

Quadrilha aplicava golpes pela internet em um site de compra e venda em oito estados, 30 vítimas foram identificadas no AM

Polícia desarticula quadrilha que aplicava golpes pela internet de dentro de presídio em MT A ação policial foi realizada em conjunto com policiais civis lotados no município de Rondonópolis (MT)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A Polícia Civil do Amazonas desarticulou uma quadrilha que aplicava golpes pela internet em um site de compra e venda em oito estados brasileiros, incluindo o Amazonas. A investigação foi comandada pela Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD). Até o momento, 30 vítimas foram identificadas no Amazonas. Os golpes eram praticados de dentro de um presídio estadual em Mato Grosso, por presos que controlavam o esquema criminoso.

 

Ao longo da última terça-feira (03/09), a operação “Falsários” resultou nos cumprimentos de 16 mandados de prisão temporária, por associação criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro, além de três mandados de busca e apreensão. Os infratores, presos durante a ação policial, estavam sendo investigados há cerca de dois meses por envolvimento no esquema criminoso.

 

A ação policial foi realizada em conjunto com policiais civis lotados no município de Rondonópolis, no Mato Grosso. Os indivíduos fraudavam anúncios no site para agirem como intermediadores durante as negociações e aplicavam golpes em compradores e vendedores.

 

“Fomos até a cidade (Rondonópolis) na semana passada e conseguimos cumprir todos os mandados. Fizemos uma busca nas celas (do presídio) e encontramos 75 chips. Aqui no estado foram 30 vítimas, que perderam entre R$ 10 mil e R$ 100 mil", explicou o delegado titular da DERFD, Guilherme Torres. O prejuízo está avaliado em cerca de R$ 1 milhão.

 

As ordens judiciais foram cumpridas em nome de Bruno Henrique da Silva, 26; Diego Gabriel Mariano Garcia, 25; Jailson Soares Anicesio, 27; Jefferson Matos de Arruda, 30; Jheimison Junior Lima Martins, 25; Joverson Nunes Pereira, 24, Itamar Sipriano, 31, Ivan Braga Dourado, 48, Marcelo Pinho dos Sonhos, 26, Moacyr José Barbosa de Sousa, 63, Natal Moraes dos Santos, 29, Rafael Germano Gil dos Santos, 23, Ronaldo Augusto de Carvalho, 33, Suelene Matos da Silva, 54, Thaynara Paula Araújo da Silva, 24, e Toledal Francisco Santos, 41.

 

“O foco dessa organização criminosa eram carros usados no valor de R$ 50 mil a R$ 70 mil. Nos cadernos de anotações deles nós podemos ver ainda negociações de caminhões. Você que vai comprar um veículo pela internet ou algum outro bem, não faça depósitos em contas de terceiros, não trate somente pela internet e veja se a documentação é da pessoa que está vendendo o bem”, alerta o delegado-adjunto da DERFD, Demétrius Queiroz.

 

Apreensões 

 Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão nas celas em que os infratores cumprem pena por outros crimes, foram apreendidos R$ 1 mil em espécie, documentos, celulares, cadernos contendo anotações do esquema ilícito e dezenas de chips de celular. A quadrilha tinha, ainda, o suporte de duas mulheres, parentes dos infratores, que eram responsáveis pelas movimentações financeiras. Elas foram presas em bairros distintos em Rondonópolis.


Indiciamentos 

Bruno, Diego, Jailson, Jefferson, Jheimison, Joverson, Itamar, Ivan, Marcelo, Moacyr, Natal, Rafael, Ronaldo, Suelene, Thaynara e Toledal foram indiciados por estelionato, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Os homens permaneceram na unidade prisional onde já cumprem pena por crimes distintos. As mulheres foram conduzidas ao Centro de Triagem e posteriormente encaminhadas a um presídio feminino em Rondonópolis.

Sobe Catracas

LUANA BORBA, jornalista

Jornalista de Manaus representou o Amazonas na bancada do Jornal Nacional e foi elogiada nas redes sociais 

Desce Catracas

HENDERSON PINTO, ex-presidente da Câmara de Santarém (PA)

Pagou mais de R$ 100 mil para empresa envolvida na Perfuga, por aluguel de carros, e é acusado de fraude em licitação de veículos