DeAmazônia

MENU
Atualizado em 10/09/2019

Marcelo Ramos apresenta emendas à Reforma Tributária que preserva ZFM e indústria nacional

Indústrias instaladas em outros territórios poderão perder competitividade caso seja mantido na PEC 45 ponto que prevê o fim dos subsídios

Marcelo Ramos apresenta emendas à Reforma Tributária que preserva ZFM e indústria nacional Marcelo Ramos apresentou as emendas nesta terça (10)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Primeiro vice-líder do PL na Câmara, o deputado federal Marcelo Ramos apresentou, hoje (10), as emendas de número 57 e 58/2019, que respectivamente, dizem respeito à manutenção das vantagens comparativas da Zona Franca de Manaus e de incentivos fiscais de indústrias instaladas em outros territórios, que poderão perder a competitividade caso seja mantido na PEC 45 ponto que prevê o fim dos subsídios para toda e qualquer atividade produtiva.

 

“Todas as indústrias de Goiás pra cima e do Paraná para baixo usufruem de algum tipo de benefício fiscal. A se manter a proposta atual que tramita na Câmara, não haveria, por exemplo, razão para a Ford se manter na Bahia, para a Fiat ficar em Pernambuco, entre outras empresas. A atividade industrial, que gera mais massa salarial e empregos, se concentraria no eixo São Paulo/Sudeste”, avalia, ao lembrar que qualquer país desenvolvido lança mão de políticas de desenvolvimento regional.

 

Para Marcelo Ramos, o Brasil precisará decidir se aprova esse aprofundamento na concentração de riquezas na região mais desenvolvida do país, ou se estimula uma distribuição mais equânime da atividade produtiva, dando a chance a outros milhões de brasileiros de poderem ter emprego e a outros estados de avançar economicamente.

 

“O ministro da Economia, que é originário do capital especulativo, deve ter a sensibilidade de que é a atividade industrial, o comércio e o setor de serviços que geram emprego à população e tributos aos estados, não o mercado de capitais. A menos que ele queira fazer do Sudeste uma ilha de prosperidade cercada de pobreza por todos os lados. Penso que isso não seria bem nem pro Sudeste, com agravamento das correntes migratórias e, consequentemente, dos problemas sociais”, diz o parlamentar amazonense.

Sobe Catracas

DELISSA VIEIRALVES FERREIRA, promotora de Justiça

Ação Civil Pública, em conjunto com a promotora Nilda Silva, derrubou na Justiça decisão da Seduc de militarizar Escola Tiradentes, em Manaus

Desce Catracas

RAYLAN BARROSO, prefeito de Eirunepé

Foi cobrado pelo MPF para fazer processo seletivo, pagar funcionários indigenas e regularizar merenda escolar