Segunda, 10 de agosto de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 06/09/2019

Investigação contra 'braço direito' foi motivo de guerra de Bolsonaro contra PF

Em matéria, exclusiva, Revista Veja divulgou hoje (06) que Polícia Federal investigava crimes do deputado Hélio Negão

Investigação contra 'braço direito' foi motivo de guerra de Bolsonaro contra PF Presidente Bolsonaro com seu braço direito o deputado federal Hélio Negão (Alan Santos-Presidência da República)

BRASÍLIA - Uma investigação da Polícia Federal contra o deputado federal Hélio Negão (PSL-RJ), amigo íntimo e braço direito de Bolsonaro, é o motivo da guerra do ocupante do Planalto a instituição.

 

Há 12 dias, ele esbravejou no portão do Palácio da Alvorada referindo-se a uma bomba que estava "para estourar" em "uma pessoa importante que está do meu lado". O recado era para a PF do Rio, pilotada por Ricardo Saadi. A informação foi revelada pela Revista Veja, em matéria exclusiva divulgada nesta sexta-feira (06). 

 

Bolsonaro havia lançado Hélio Negão a prefeito do Rio, mas o parlamentar virou recentemente alvo de investigação da PF por crimes cometidos há mais de 15 anos.  Na PF, fala-se que uma ala da polícia mirou em Negão porque ele teria "queimado" Saadi no Planalto. O tiro, no entanto, atingiu o diretor da PF, Maurício Valeixo.

 

O centralismo de Bolsonaro agora está cada vez mais evidente. Se não bastassem a blindagem do Judiciário às investigações sobre o envolvimento da família dele com milícias e acerca do esquema de lavagem de dinheiro que beneficiava do senador Flávio Bolsonaro (PSL) quando este era deputado estadual, o ocupante do Planalto deixa claro que não está nem um pouco disposto a fazer a chamada "nova política". 

 

O deputado do PSL Hélio Negão ficou conhecido após Bolsonaro fazer dele uma "prova" de que o chefe do Planalto não é racista. Utilizando o sobrenome da família Bolsonaro, o parlamentar se candidatou a deputado federal pelo PSL, e foi o mais votado do Rio de Janeiro com 345 mil votos.

COM INFORMAÇÕES DO BRASIL 247

 

Sobe Catracas

MARCIA PERALES, presidente da FAPEAM

600 projetos de pesquisa e inovação de professores de Manaus e interior do Estado foram aprovados, com aumento de 22% relacionados a 2019

Desce Catracas

JOSUÉ NETO, presidente da ALE/AM

Após repercussão negativa de boicote ao governo, teve que recuar, pedir trégua e destravar pautas