Quarta, 03 de junho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 05/09/2019

Victor Ricelly Santos compõe grupo de procuradores que pediu demissão da Lava Jato

Procurador Federal do Amazonas, nomeado para a força tarefa em Brasília, também pediu demissão

Victor Ricelly Santos compõe grupo de procuradores que pediu demissão da Lava Jato Procurador federal, Victor Ricelly Santos (Foto: Aguilar Abecassis/ACRÍTICA)

DEAMAZÔNIA BRASÍLIA - Os seis procuradores que integram a força-tarefa da Lava Jato pediram demissão coletiva nesta quarta-feira (04/9), em protesto contra decisão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de arquivar trechos de delação contra o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) e um irmão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

 

O procurador federal do Amazonas, Victor Ricelly Santos, também compõe o grupo de procuradores da Lava Jato, em Brasília, que também pediu desligamento do cargo. Quando foi nomeado por Dodge, em janeiro de 2018, para a força tarefa da Lava Jato, Ricelly era no MPF/AM o procurador Regional Eleitoral no Estado.  

 

Segundo o jornal O Globo, a insatisfação se deve a uma manifestação de Raquel Dodge sobre a delação premiada do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro. A Procuradora Geral enviou a delação de Léo Pinheiro na terça-feira (3/9) ao STF, pedindo para homologar o acordo. 

 

Os procuradores - Raquel Branquinho, Maria Clara Noleto, Luana Vargas, Hebert Mesquita, Victor Riccely e Alessandro Oliveira, divulgaram um comunicado, nesta terça-feira (03/9), sem citar detalhes do motivo do pedido de demissão.

 

No pronunciamento alegam apenas “grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem (03.09.2019)". 

 

VEJA A NOTA DOS PROCURADORES  ___

“Devido a uma grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem (03.09.2019), decidimos solicitar o nosso desligamento do GT Lava Jato e, no caso de Raquel Branquinho, da SFPO. Enviamos o pedido de desligamento da data de hoje. Foi um grande prazer e orgulho servir à Instituição ao longo desse período, desempenhando as atividades que desempenhamos. Obrigada pela parceria de todos vocês. Nosso compromisso será sempre com o Ministério Público e com a sociedade.”

Sobe Catracas

RODRIGO FERNANDES, escritor paraense

Natural de Santarém, venceu concurso da Academia Paraense de Letras e Artes e obra dele ficou em 1º lugar na categoria 'Melhor Livro'

Desce Catracas

ANTÔNIO PEIXOTO, prefeito de Itacoatiara

Deputado denunciou na Aleam que médicos, que atuam na pandemia, estão há três meses sem receber salários