DeAmazônia

MENU
Atualizado em 28/08/2019

Operação Acolhida inicia reordenamento de venezuelanos na rodoviária de Manaus

Espaço, atualmente, está ocupado por 536 refugiados, que devem ser encaminhados para a Arena Amadeu Teixeira

Operação Acolhida inicia reordenamento de venezuelanos na rodoviária de Manaus Operação Acolhida na rodoviária (Foto:Nathalie Brasil/ Semcom)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O reordenamento da área próxima ao Terminal Rodoviário de Manaus, em Flores, zona Centro-Sul, teve início nesta terça feira (27/8). O espaço atualmente está ocupado por 536 refugiados venezuelanos.

 

A iniciativa faz parte da operação Acolhida, coordenada pelo Ministério da Defesa, e que reúne a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), as secretarias de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Assistência Social, (Seas), Organização Internacional de Migração (OIM), Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

48633508656_8c8c1d9a01_o

De acordo com o coordenador da operação em Manaus, coronel Ademar Neto, após uma reunião na manhã desta terça-feira, entre as instituições envolvidas, foi alinhado que os ocupantes sejam encaminhados para a Arena Amadeu Teixeira, onde permanecerão até o término das ações. Nesse período será montada uma estrutura de albergamento, que consiste em tendas e overlays (contêineres) a serem usados para atendimento dos refugiados.

 

“A ideia é que seja um local de pernoite. Que eles saiam para procurar emprego pela manhã e à noite venham pernoitar. Vamos fornecer a eles Carteira de Trabalho, Carteira de Identidade, CPF. Haverá um mutirão conjunto entre as Forças Armadas, Receita Federal e forças federais para que haja o fornecimento de toda a documentação necessária para que eles tenham condições de se interiorizar, se quiserem. Já estamos montando um posto de interiorização e triagem na avenida Torquato Tapajós”, informou.

 

Integração

A Prefeitura de Manaus atua na abordagem social dos refugiados, por meio da Semasc, na ação de sensibilização e orientação às famílias para o reordenamento.

 48633508841_1332f1db4d_o

“Estamos disponibilizando toda ajuda possível da Prefeitura de Manaus, dentro da operação Acolhida, para que justamente por meio da força-tarefa conjunta possamos oferecer um apoio de melhor qualidade às famílias venezuelanas”, destacou a titular da Semasc, Conceição Sampaio.

 

Além da Semasc, também participam da ação conjunta do reordenamento da rodoviária, a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), atuando na limpeza do local e retirando entulhos, além da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) que está mantendo ambulâncias na rodoviária para apoio e atendimento, caso necessário.

 

Posto de Atendimento

Na rodoviária, um Posto de Referência de Atendimento (PRA) já está em funcionamento com uma sala específica do Unicef para atender crianças e evitar situações de vulnerabilidade.

 

“Temos também uma área de lavanderia, banheiros, chuveiros, área para secagem de roupas e um local para a guarda de pertences. O objetivo dessa ação é justamente trazer mais conforto e segurança para essas pessoas”, frisou a secretária-executiva da Sejusc, Edmara Castro.

 

Operação Acolhida

A operação foi lançada em Roraima, pelo governo federal, em março de 2018 e reúne órgãos federais, estaduais e municipais que atuam em conjunto nas ações de acolhimento aos venezuelanos, como fornecimento de refeições, serviços de saúde, direcionamento para abrigos e a regularização documental dos refugiados, que queiram permanecer no Brasil e ser distribuídos para outras regiões, juntamente com suas famílias.

 

A operação já contabiliza mais de 6.300 venezuelanos interiorizados em mais de 15 Estados brasileiros.

 

Sobe Catracas

GERSON MOURÃO, presidente da Fundação Cecon do AM

Médico mastologista foi homenageado com Medalha Ruy Araújo, na Aleam, pelo trabalho à frente do Centro de Controle de Oncologia do Estado

Desce Catracas

RAIMUNDO MARTINS, ex-prefeito de São Paulo de Olivença (AM)

Teve contas de 2012 reprovadas pelo TCE/AM e foi multado em R$ 2,1 milhão por diversas irregularidades