DeAmazônia

MENU
Atualizado em 17/08/2019

'Demissão coletiva' faz Bolsonaro recuar sobre delegado federal de Manaus

Suposta ligação do filho Flávio com milícias do Rio e caso Queiroz motivaram interferência do presidente na PF

'Demissão coletiva' faz Bolsonaro recuar sobre delegado federal de Manaus Sede da Polícia Federal do Amazonas (Reprodução)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Nunca na redemocratização do país um presidente havia interferido na Polícia Federal, como agora. Os delegados federais cogitaram um pedido de demissão coletiva, em todo o pais, depois da tentativa do presidente Jair Bolsonaro de trocar o superintendente da PF no Rio de Janeiro, Ricardo Saadi.

 

A informação é da colunista Monica Bérgamo, da Folha de S. Paulo.  

 

Na quinta-feira (15), Bolsonaro anunciou que o superintendente do Rio seria um nome de sua confiança que viria de Manaus, o delegado Alexandre Saraiva. Quem estava cotado era o superintende da Polícia Federal em Pernambuco, Carlos Henrique Oliveira.

 

“Pergunta para o ministro da Justiça, Sergio Moro. Já estava há três, quatro meses para sair o cara de lá. Quando vão nomear alguém, falam comigo. Eu tenho poder de veto ou vou ser um presidente banana agora, cada um faz o que bem entende e tudo bem? Não”, disparou. “Não interessa o motivo”, completou Bolsonaro.  

 

O motivo da troca de comando seria a substituição do delegado Ricardo Saadi, por causa dos supostos elos entre as milícias do Rio, a família do presidente e o chamado caso Queiroz. As investigações envolviam o filho Flávio Bolsonaro, senador pelo Rio.

 

Fabrício Queiroz é policial militar e ex assessor de Flávio, então  deputado da ALERJ. Ele é acusado de movimentações financeiras atípicas de R$ 1,2 milhão. Queiroz está desaparecido. Caso Queiroz explodiu em dezembro de 2018.

 

O ato de Bolsonaro atropela a autonomia da Polícia Federal e enfraquece o ministro da Justiça Sérgio Moro. Delegados federais também colocaram Moro na parede e queria que ele reagisse.

 

Com a provável demissão coletiva dos delegados federais, Bolsonaro dá sinais de recuo.   

 

Sobe Catracas

CAROLINE BRAZ, secretária de Direitos Humanos do AM

Pela primeira vez, Amazonas aderiu a campanha nacional "Não é Não", contra o assédio, com ações por todo o estado no Carnaval 2020

Desce Catracas

VILSON GONÇALVES, prefeito de Aveiro (PA)

Virou alvo da Justiça em processo criminal acusado de recolher ICMS de mercadoria para exportação sem comprovar para Sefa saída do produto