DeAmazônia

MENU
Atualizado em 14/08/2019

MP investiga prefeito de Tabatinga que ‘embolsa’ parte dos salários dos servidores

Prefeito se apropria de descontos da previdência e de empréstimos consignados feitos na folha de pagamento dos funcionários

MP investiga prefeito de Tabatinga que ‘embolsa’ parte dos salários dos servidores Prefeito de Tabatinga, Saul Bemerguy

DEAMAZÔNIA TABATINGA, AM - O Ministério Público do Amazonas (MP/AM), por meio da Promotoria de Justiça de Tabatinga (1.106 quilômetros de Manaus) abriu Inquérito Civil para investigar o prefeito do município, Saul Bemerguy (PSD), por não repassar valores descontados dos salários de servidores públicos municipais, que realizaram empréstimo consignado na Caixa Econômica Federal, no período de 2009 a 2012, e na atual gestão do prefeito.

 

O documento, assinado pelo promotor de Justiça André Epifânio Martins, no dia 7 de agosto, está publicado no Diário Oficial desta segunda-feira (12/8).

 

Martins resolveu converter a Notícia de Fato nº 012/2019, em Inquérito Civil, para apurar suposto crime de apropriação indébita e atos de improbidade administrativa do prefeito.

 

No Inquérito, o promotor afirma ainda que há “necessidade de realização de diligências adicionais tendentes a concluir a investigação, eis que ainda não se vislumbra nos autos os elementos necessários para adoção das medidas judiciais ou extrajudiciais cabíveis ao caso”.

 

O MP/AM já abriu outra investigação contra Saul Bermerguy, em julho, deste ano, por recolher as contribuições previdenciárias, em folha de pagamento dos servidores e não repassar ao INSS. Segundo o Ministério Público isso vem ocorrendo também desde o período de 2009 a 2012.

 

Saul Bermerguy vem agindo na cara dura.

Sobe Catracas

PASTORA LEAL, presidente do TRT/8ª Região

Desembargadora foi homenageada na sede do TST, em Brasília, com medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho

Desce Catracas

JARDEL VASCONCELOS, prefeito de Monte Alegre (PA)

Conselho de Ética e Transparência Administrativa Municipal (Copetramma) protocolou pedido de cassação dele na Câmara por suposta fraude em licitação