DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/07/2019

Carlinhos Maia filma mendigo em ruas de Nova York e é atacado na web: ‘Podre’

Internautas consideraram o ato preconceituoso e uma falta de respeito; Maia rebateu: "Eu era muito feliz sem tanta gente assim"

Carlinhos Maia filma mendigo em ruas de Nova York e é atacado na web: ‘Podre’ Carlinhos Maia filma mendigo em Nova York e é alvo de críticas (Fotos: Reprodução/Instagram-Carlinhos Maia)

O humorista e digital influencer Carlinhos Maia, vem sendo alvo de muitas críticas na web, deste esta quinta-feira (11/7), quando filmou um mendigo dormindo em uma calçada de Nova York, nos Estados Unidos, sem nenhum consentimento do morador de rua.

 

Os internautas consideraram o ato uma falta de respeito e preconceituoso. Na gravação Maia “compara” os mendigos dos EUA com os do Brasil. “As pessoas na rua, como são diferentes. Impressionante até isso é diferente, pessoal. Parece um ator, gente. Diga aí!”, diz ele no vídeo, enquanto mostra um homem branco e barbado dormindo com uma coberta azul.

 

Nas redes sociais, várias pessoas se mostraram indignadas. “To com ódio do Carlinhos Maia, vendo ele filmar o ROSTO de um mendigo, expôr ele a milhões de pessoas sem o consentimento do próprio pra fazer uma observação imbecil de que ‘até os moradores de rua daqui são diferentes’? Cancelem esse cara pelo amor de Deus”, afirmou uma internauta no Twitter.

 

“Carlinhos Maia postou um story de um morador de rua no EUA dormindo, filmou bem o rosto do homem, pra comentar que até os moradores de rua de lá são diferentes, porque o cara era branco e bonito, segundo ele, parecia um ator. Expôs o homem sem qualquer consentimento. Podre”, disse outra.

 

Maia resolveu se pronunciar sobre o caso e fez um desabafo e até pediu para que as pessoas parem de segui-lo no Instagram.

 

"A maldade é tão grande para tentar atrapalhar. Não vou parar de ajudar as pessoas, de brincar, de filmar. Me criticaram porque elogiei um mendigo, só achei ele bonitão e parecia ator", disse.

 

Ele continuou: "Me taxam de preconceituoso e eu sendo gay. Me taxam de preconceituoso com negro e minha mãe é negra. Se não tiver satisfeito tira esse monte de números [de seguidores], não quero mais, não. Eu era muito feliz sem tanta gente assim. Era muito mais feliz do que hoje. Fazer o bem é crime", disparou.

 

Sobe Catracas

GERSON MOURÃO, diretor-presidente da Fundação Cecon

Com 34 anos de atuação na medicina, recebe Medalha de Ouro Cidade de Manaus da CMM, considerado a maior honraria do Poder Legislativo Municipal.

Desce Catracas

GLÊNIO SEIXAS, prefeito de Barreirinha

Líderanças indigenas se queixam que Prefeitura se recusa a fazer parceria com a Sesai para atender doentes da etnia sateré-maué