DeAmazônia

MENU
Atualizado em 06/07/2019

Saullo ameaça romper com Jender Lobato se ele aceitar apoio de Babá

Deputado ameaça rachar com grupo no Caprichoso

Saullo ameaça romper com Jender Lobato se ele aceitar apoio de Babá Jender Lobato, Saullo Vianna, Babá Tupinambá ( divulgação)

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - O apoio de Babá Tupinambá, atual presidente do Caprichoso, a candidatura a presidente do seu vice Jender Lobato seria, de todo modo natural. Seria, se isso não provocasse a ameaça de um racha no grupo político deles.

 

É que o deputado estadual, Saulo Vianna, hoje rompido com o presidente Babá, ameaça retirar seu apoio a candidatura de Lobato se o vice aceitar a oferta da adesão de Tupinambá a campanha dele. Saullo e Jender são amigos.

 

De acordo com o site AmemPauta, Babá anunciou, no curral Zeca Xibelão apos resultado do Festival 2019, que não postulará um segundo mandato [teria que mudar o estatuto] e declarou apoio a Jender.

 

Os motivos para a repulsa de Saullo contra Babá são inúmeros, relatam ao DeAMAZÔNIA amigos mais próximos do trio.

 

Saullo tem deixado isso claro, em mensagens enviadas ao um grupo fechado de aplicativo de rede social. Nas rodadas, o parlamentar não esconde também, aos mais chegados, o seu descontentamento.

 

Depois de fazer um alto investimento no mandato do presidente Babá, nos três anos, Saullo acabou ficando sem camarote para receber seus amigos no Festival de Parintins 2019. E isso, para o deputado é "imperdoável".      

 

Contatado pelo DeAmazônia o deputado Saullo Vianna disse que não comentaria o assunto."Só vou comentar quando [o anúncio do apoio] for oficial. Até agora é especulação", afirmou.

 

Babá entregará a presidência do Caprichoso no início de setembro, deste ano, quando acontece a eleição do boi.

Sobe Catracas

MÁRIO DE MELLO, conselheiro do TCE/AM

Foi eleito, por unanimidade, novo presidente do Tribunal de Contas do AM, para o biênio 2020-2021, e toma posse em dezembro 

Desce Catracas

HENRIQUE COSTA, prefeito de Juruti (PA)

Moradores cobram água potável e asfalto nas ruas e questionam investimentos de royaltes da Alcoa