DeAmazônia

MENU
Atualizado em 18/06/2019

Gaeco assume investigação do 'bolão do mensalinho' em Coari (AM), diz procuradora geral

Todos os 15 vereadores de Coari são acusados de receber mensalinho do prefeito Adail Filho (PP-AM)

Gaeco assume investigação do 'bolão do mensalinho' em Coari (AM), diz procuradora geral Procuradora-geral de Justiça do Amazonas, Leda Mara Albuquerque

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A procuradora-geral de Justiça do Amazonas, Leda Mara Albuquerque, informou nesta segunda-feira (17/6), que o caso do suposto “bolão do mensalinho” no município de Coari (a 370 quilômetros de Manaus), está sendo analisado pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Amazonas (MP/AM).

 

Segundo Leda Mara, o Gaeco está periciando a gravação do vídeo em que, supostamente, todos os 15 vereadores da Câmara de Coari receberiam propina do prefeito da cidade, Adail Filho (PP). O prefeito nega qualquer envolvimento no ilícito.    

 

“O MP recebeu o vídeo, dando conta de um suposto mensalinho no município de Coari, envolvendo os vereadores e esse material foi encaminhado ao GAECO que está procedendo a análise do material, está realizando um estudo minucioso e irá nos levar, eventualmente, a um posicionamento futuro [...] no ponto de vista criminal, da improbidade contra os responsáveis por essas ações”, diz a procuradora-geral, em áudio.

 

A investigação foi aberta após a divulgação de um vídeo, onde vereadores de Coari aparecem sorteando, entre si, R$ 50 mil em espécie, que teria origem de corrupção. A gravação foi divulgada no dia 14, sexta-feira, em matéria do Jornal da Globo e que também a TV Amazonas divulgou. 

 

A gravação do “bolão do mensalinho”, como o caso ficou conhecido, é de 2017, mas segundo informações acontecia com frequência e eram filmados pelos próprios parlamentares.

 

Conforme a denúncia, cada vereador recebia R$ 10 mil, por mês do prefeito Adail, em troca do chefe do executivo ter o controle das decisões da Casa.

Sobe Catracas

JOSÉ LIBERATO, subtenente do Corpo de Bombeiros no AM

Militar amazonense conquistou medalha de ouro no campeonato Brasileiro de Remo Olímpico no Rio de Janeiro 

Desce Catracas

MAXWEEL BRANDÃO, ex-prefeito de Placas (PA)

Justiça Federal multou ele em R$ 50 mil pela sonegação de informações ao MPF e o condenou pelo extravio de documentos públicos