DeAmazônia

MENU
Atualizado em 11/06/2019

Gilmar Mendes diz que mensagens obtidas ilegalmente podem servir como prova

Ministro do STF falou sobre vazamento de mensagens entre Moro e Dallagnol

Gilmar Mendes diz que mensagens obtidas ilegalmente podem servir como prova Ministro do STF, Gilmar Mendes (Foto: Agência Brasil)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, se pronunciou, nesta terça-feira (11/06), sobre o vazamento de suposta conversa entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro e o coordenador da força tarefa da Lava jato, Deltan Lallagnol.

 

Para o ministro, apesar de o conteúdo privado ter sido obtido de maneira ilegal o material poderá ser usado como uma prova válida.

 

"Não necessariamente [anula]. Porque se amanhã [uma pessoa] tiver sido alvo de uma condenação, por exemplo, por assassinato e aí de descobrir por uma prova ilegal que ela não é o autor do crime, se diz que em geral essa prova é valida", disse Gilmar Mendes, para a Folha de São Paulo.  

 

Ainda segundo a Folha, no STF, além de Gilmar, mais 2 dos 11 ministros já manifestaram ter a mesma opinião de que uma eventual ilegalidade 'da forma como as mensagens das conversas de Moro e Dallagnol foram obtidas' não necessariamente anula o seu uso como prova.  

Sobe Catracas

ENNIO CANDOTTI, diretor do Museu da Amazônia (Musa)

Professor receberá nesta quarta (21), na Aleam, o Título de Cidadão do Amazonas

Desce Catracas

WLADMIR COSTA, ex-deputado federal

MPF pede cancelamento da concessão de rádio, ligada à ele, acusada de promover o ex-deputado com transmissão irregular de comícios