DeAmazônia

MENU
Atualizado em 15/05/2019

Manaus e Parintins protestam contra corte de verbas nas universidades

Pelo menos 173 cidades do país aderiram ao movimento contra bloqueio de recursos, anunciados pelo MEC

Manaus e Parintins protestam contra corte de verbas nas universidades Manifestação em Parintins (Foto: Reprodução/Blog do Hiel Levy)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Professores, estudantes, movimentos sociais e várias entidades protestam, no Centro de Manaus, nesta quinta-feira (15/5) contra o bloqueio de R$ 2 bilhões em recursos de universidades federais, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). Os protestos acontecem em todo Brasil, com horário marcado para as 17h (horário de Brasília), porém, manifestações são realizadas desde a manhã.

 

A Polícia Militar estima a presença de 800 pessoas no movimento da capital amazonense. Em Parintins/AM, cidade que é o berço da cultura na Amazônia, manifestantes fizeram protestos, em frente da Catedral da padroeira da cidade Nossa Senhora do Carmo.  

 

Todos os estados, incluindo o Distrito Federal, aderiram à paralisação. Atos acontecem em pelo menos 173 cidades do Brasil.

 

Manifestação de comunidade universitária da UFAM, em Manaus (Foto: Reprodução)

 

Em Manaus, alunos e professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), se concentraram na Praça da Saudade e seguiram para a Praça do Congresso ainda durante a manhã, com faixas, megafones e palavras de ordem contra o governo federal.

 

O corte de verbas da educação retirou mais de R$ 38 milhões da Ufam.

 

Além de membros da Federal, participam ainda alunos de escolas municipais, estaduais e instituições públicas e particulares.

 

Hoje (15), pela manhã, em Dallas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que não gostaria de contingenciar verbas, mas que isso é necessário. Ele também declarou que os manifestantes são "uns idiotas úteis, uns imbecis".

 

Sobe Catracas

UÁLAME MACHADO, secretário de Segurança Pública do Pará

Polícia desvendou em cinco dias chacina ocorrida em Belém, no domingo (19), que resultou na morte de 11 pessoas

Desce Catracas

AFRÂNIO PEREIRA JUNIOR, major da PM aposentado

Secretário de Articulação Política do prefeito de Manacapuru, Beto D'Ângelo, agrediu com socos e chutes, moradores que protestavam por ruas esburacadas