DeAmazônia

MENU
Atualizado em 14/05/2019

Professores repudiam 'viés político' e afirmam que Wilson não quer fim da greve

Sinteam realiza assembleia geral hoje (14) para analisar contraproposta do Governo enviada à ALE-AM

Professores repudiam 'viés político' e afirmam que Wilson não quer fim da greve Greve geral dos professores completa 30 dias amanhã (15) (Foto: Reprodução/Facebook)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) reagiu com indignação sobre declaração do governador Wilson Lima (PSC) que afirmou que a greve dos professores, que completa 30 dias nesta quarta-feira (15/5), possui “um víes político partidário”. A declaração foi feita em pronunciamento a imprensa, nesta segunda-feira (13/5), na Sede do Governo, Zona Oeste de Manaus.

 

O Sinteam divulgou Nota Oficial, nesta segunda (13), onde fez questão de afirmar que o movimento não é do Sindicato, e sim de todos os professores.

 

 “O governador alega que o movimento é político-partidário, o que é um equívoco. O movimento sindical tem pessoas filiadas a partidos, assim como o governador é. A Constituição permite. A diferença é que ele governa o estado e o sindicato representa a categoria”, diz trecho da nota.

 

Em reunião com os professores, Wilson Lima pediu que a greve fosse suspensa e destacou que o Estado chegou ao limite máximo do que pode oferecer aos profissionais da educação em 2019, sob pena de comprometer todo o funcionalismo público. O governador disse ainda que a paralisação que prejudica alunos da rede estadual de ensino.

 

A categoria afirma que houve uma “quebra de mesa de negociação” sugerida pelo próprio Wilson e que o governador “tenta ludibriar a sociedade”.

 

“[...] vale ressaltar que o governador tenta se apropriar do reajuste de 9,38% de 2016, negociado durante a greve do ano passado e que foi pago em janeiro desse ano. Tenta também ludibriar a sociedade quando afirma que foi ele que concedeu o reajuste. Isso não é verdade”, afirma o Sinteam.

 

Sobre acusações de “intransigência”, feitas pelo governador aos professores em greve, o sindicato diz que “desde o início das negociações o governador não tinha interesse em receber ou negociar o reajuste”

 

“O SINTEAM nunca faltou com respeito com ninguém nem com as entidades e nem com membros do governo; [...] Nunca houve intransigência de nossa parte. Pelo contrário. Houve por parte do governo. Pedimos audiência com o governador Wilson Lima no dia 2 de janeiro, mas ele só atendeu o sindicato no dia 7 de maio”, alega a nota.

 

O Sindicato classificou a fala do governador  como “sérias acusações” e finaliza afirmando: “Esperamos que ele [Wilson Lima] não baseie seu governo em Fake News”.

 

PROPOSTA DO GOVERNO

O Governo do Estado oferece aos profissionais da educação reposição salarial de 4,73% (incluindo perdas residuais referentes às datas-bases de 2015 a 2018). A categoria reivindica 15% de reajuste além de vale-alimentação e auxílio-localidade. Greve foi oficializada no dia 15 de abril. 

 

Os professores realizam assembleia nesta terça-feira (14), às 16h, no Rio Negro Clube, em Manaus para analisar a fala de Wilson e decidir se a greve continua ou não.

Sobe Catracas

PASTORA LEAL, presidente do TRT/8ª Região

Desembargadora foi homenageada na sede do TST, em Brasília, com medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho

Desce Catracas

JARDEL VASCONCELOS, prefeito de Monte Alegre (PA)

Conselho de Ética e Transparência Administrativa Municipal (Copetramma) protocolou pedido de cassação dele na Câmara por suposta fraude em licitação