DeAmazônia

MENU
Atualizado em 13/05/2019

Na ALE/AM, Omar destaca pontos que devem ser retirados da reforma da Previdência

Para o senador a idade da mulher, professores, policiais, aposentadoria rural e BPC devem ser protegidos

Na ALE/AM, Omar destaca pontos que devem ser retirados da reforma da Previdência Senador Omar Aziz, com Dermilson Chagas e Marcelo Ramos (Fotos: Márcio Gleyson)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM -  Na manhã desta segunda-feira (13/05), o senador Omar Aziz (PSD), que preside a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), esteve na Assembléia Legislativa do Estado (ALE/AM) pra discutir a Reforma da Previdência com parlamentares estaduais do Amazonas, membros da sociedade civil organizada. Evento contou com a presença do deputado federal Marcelo Ramos (PR), que é o presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência da Câmara dos Deputados. O autor e mediador da audiência pública, foi deputado estadual Dermilson Chagas.

 

Na oportunidade o senador amazonense aproveitou para destacar os pontos que ele considera que devem ser retirados da Reforma: idade da mulher, professores, policiais, aposentadoria rural e o BPC (Benefício de Prestação Continuada). Além disso, destacou a necessidade de despolitizar a discussão da Reforma da Previdência. Segundo Aziz a questão é tratada desde o governo FHC e a opinião sobre o tema muda de acordo com a posição (governo ou oposição) que cada grupo ocupa no momento em que a pauta é levantada.

 coca gif

O senador destacou ainda a necessidade de diversificar a Zona Franca para gerar mais emprego: “ Quando eu digo diversificar é sair só desses três seguimentos que nós temos aqui: pólo de duas rodas, eletroeletrônico e de informática. Tem uma série de coisas que podemos fazer aqui: Cosméticos, alimentícios, calçado”, falou o senador.

 

Para ele, é preciso também pensar os próximos anos e modernizar a economia para garantir o futuro das próximas gerações amazonenses: “hoje o maior comércio que nós temos no Brasil é a internet. Você compra qualquer coisa por aplicativo. Isso coloca o comércio da Zona Franca em muita dificuldade. Então precisamos nos modernizar e pensar os próximos anos”, finalizou o senador Amazonense.

Reforma_previdência (7)_1

 

COMISSÃO ESPECIAL

O deputado federal Marcelo Ramos (PR-AM) garantiu que em concenso entre os membros da Comissão Especial, que alguns pontos da reforma, não deverão ser aprovados como as regras do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e aposentadoria rural.

 

 “Na manutenção atual, no valor de um salário mínimo, o BPC é pago aos idosos de baixa renda a partir dos 65 anos. A proposta da reforma prevê a redução do valor para R$ 400, com pagamento a partir de 60 anos, atingindo o salário mínimo somente a partir dos 70 anos. Não mudaremos as regras do BPC, pois, não tem natureza previdenciária, sem contribuição e sim de assistência social. E também não passará alteração da aposentadoria rural, usufruída pelos agricultores e pescadores, esse é o nosso compromisso”, afirmou.

 coca gif_1

Com relação aos professores, Marcelo disse que existe também uma proposta em que aumenta a idade mínima das professoras mulheres em 10 anos, sem regra de transição, passando de 50 para 60 anos. “Não vamos aceitar qualquer mudança”, disse.  Marcelo ainda defendeu a exclusão das reformas previdenciárias de estados e municípios.

 

228 MIL BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

Dermilson Chagas se diz ter ficado muito satisfeito com o posicionamento e compromisso do deputado federal Marcelo Ramos e do senador Omar aziz sobre a reforma da previdência e defendeu uma diminuição do encargo tributário para o empresário para que realmente haja geração de emprego e renda. 

 

Sobre o produtor rural, pescador e outras categorias, Dermilson acredita que houve uma tranquilidade após os esclarecimentos de Marcelo e Omar. “Trouxemos a calma para vários segmentos, como o pessoal do BPC, sindicato dos trabalhadores rurais, entre outras categorias que se mostraram preocupados com a reforma. No amazonas, temos 228 mil benefícios previdenciário, só rural 108 mil, urbanos 116 mil. Então, quando é proposto uma reforma como essa, é preciso saber quem estamos atingindo. Que fique claro, que se depender da nossa bancada, esses benefícios não serão mexidos”, indagou.

Fotos: Márcio Gleyson

Sobe Catracas

CARLOS WIZARD MARTINS, empresário

Bilionário mudou-se de São Paulo para Roraima para administrar rede de apoio a imigrantes venezuelanos, em missão da igreja mórmon 

Desce Catracas

JOSÉ SEVERINO RIBAS, superintendente da Caixa Econômica no AM

Sorteados com casas populares do Minha Casa, Minha Vida, em Parintins, ocupam as residências devido sete anos de demora na entrega da obra