DeAmazônia

MENU
Atualizado em 10/05/2019

Nenê Machado e Mantegão vão aos tapas e briga vai parar na polícia

Veja o que disse o prefeito; Nenê e vice então rompidos há meses; saiba outros supostos motivos

Nenê Machado e Mantegão vão aos tapas e briga vai parar na polícia Prefeito Nenê Machado e o vice-prefeito Cleudo Mantegão (Foto: Reprodução/Facebook)

DEAMAZÔNIA NHAMUNDÁ, AM -  O prefeito de Nhamundá (a 375 quilômetros de Manaus) Nenê Machado (PROS)  e o vice-prefeito Cleudo Mantegão (Solidariedade) travaram luta corporal na manhã desta sexta-feira (10/05), dentro do gabinete da Prefeitura. O prefeito registrou boletim de ocorrência na delegacia logo após ocorrido.

 

O delegado de Polícia de Nhamundá, Jardel Rodrigues de Oliveira, confirmou a agressão. Ele disse que, por enquanto, não poderia dar detalhes do ocorrido. “Estou aguardando [agora a tarde] o prefeito para colher o depoimento dele”, afirmou o delegado. 

 

“Eu estava no gabinete com seis candidatas da Exposição Agropecuária de Nhamundá quando ele [Mantegão] entrou na sala, viu que eu estava atendendo e saiu. Depois que fiquei só, pedi pra chamarem ele e foi quando ele chegou gritando e me agrediu com um soco no rosto, que eu ainda tentei me defender. Aí, ele jogou a mesa para cima de mim. Foi quando entraram os funcionários da Prefeitura para conter ele que estava transtornado”, afirmou o prefeito Nenê Machado, ao Portal DeAMAZÔNIA. O prefeito estava na delegacia quando falou com a reportagem.   

 

Machado disse que o motivo da agressão seria o fato da demissão do filho de Mantegão, Cleuberth Tavares . “Eu cumpri uma determinação do MP e TCE porque se não demitisse o filho dele [Mantegão]  estariam incorrendo em crime de Nepotismo. Ele queria que eu pagasse um mês de trabalho do filho e eu só paguei 10 dias, uma vez que ele trabalhou só dez dias”, acrescentou Nenê.

 

A reportagem não conseguiu contatar o vice.

DESENTENDIMENTO

O prefeito Nenê Machado e o vice Cleudo Mantegão estão rachados há alguns meses. Pessoas próximas ao vice disseram que a gota d’água para a briga teria várias outras razões, acumuladas.

Segundo aliados do vice-prefeito, um dos motivos da briga no gabinete seria o acordo não cumprido de Nenê com Mantegão de apoiá-lo na disputa pela Prefeitura, em 2020. O prefeito apoia como sucessora dele a secretaria de Ação Social, Marina Pandolfo, que é tia da primeira dama, Ana Cássia Brito Andrade.

 

Outro motivo seriam as demissões que Nenê fez numa lista de 100 funcionários. Uma parte do listão tinha pessoas ligadas ao vice.

 

Outro terceiro suposto motivo da arenga seria o fato de Mantegão ter procurado o juiz da Comarca de Nhamundá, Marcelo Cruz de Oliveira e o promotor da cidade, Weslei Machado, para relatar supostos atos de improbidade administrativa praticados por Nenê Machado na gestão pública.

 

Mantegão teria ainda relatado ao promotor de Justiça que o prefeito já estaria oferecendo vantagens a contratados pela Prefeitura em favor de Marina Pandolfo, escolhida por Nenê Machado para a sucessão municipal.  

Sobe Catracas

PASTORA LEAL, presidente do TRT/8ª Região

Desembargadora foi homenageada na sede do TST, em Brasília, com medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho

Desce Catracas

JARDEL VASCONCELOS, prefeito de Monte Alegre (PA)

Conselho de Ética e Transparência Administrativa Municipal (Copetramma) protocolou pedido de cassação dele na Câmara por suposta fraude em licitação