DeAmazônia

MENU
Atualizado em 13/04/2019

ONG Repórteres sem Fronteiras divulga ranking sobre liberdade de imprensa

O levantamento do RSF avalia a situação em 180 países sobre o exercício do jornalismo em relação à violência

ONG Repórteres sem Fronteiras divulga ranking sobre liberdade de imprensa Crédito: Divulgação

A organização Repórteres sem Fronteiras (RSF) vai divulgar, nesta quinta-feira (18/4), no Rio de Janeiro, o Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa 2019. Após a divulgação dos números, haverá um debate sobre os desafios para o jornalismo.

 

O levantamento do RSF avalia a situação em 180 países, para o exercício do jornalismo em relação à violência contra a imprensa, independência das mídias, transparência, autocensura e liberdade de expressão. 

 

Os números serão apresentados pelo diretor da RSF para a América Latina, Emmanuel Colombié, pela diretora de Conteúdo da Agência Lupa, Natália Leal, e pela jornalista venezuelana Luz Mely Reys.

 

Relatório ABERT Liberdade de Expressão

Em fevereiro deste ano, a ABERT divulgou o Relatório sobre Violações à Liberdade de Expressão 2018. O levantamento registrou um aumento da violência contra os profissionais de comunicação, em relação a 2017.

 

Foram três assassinatos e 114 registros de violência não letal, envolvendo pelo menos 165 profissionais, o que representa um aumento de 50% em relação a 2017. Em 2018, houve 16 casos de ataques e vandalismo contra veículos de comunicação de todo o país, um aumento de 300% em relação ao ano anterior.

 

De acordo com a RSF, em 2018, o Brasil ocupava a 102ª posição no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa, sendo considerado um dos mais perigosos para o exercício do jornalismo.

 

Lançamento Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa - RSF

Data: 18/04
Local: Casa Pública, Rua Dona Mariana, 81, Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 9h30

 

Por

Sobe Catracas

ALGACIR ANTÔNIO POLSIN, general do Exército

Assumiu o posto de chefe do Estado Maior do Comando Militar da Amazônia (CMA)

Desce Catracas

PATRÍCIA HAGE, ex-prefeita de Prainha (PA)

Justiça Federal condenou ela por improbidade administrativa, acusada de suposto envolvimento em esquema de desvio de verbas da Saúde