DeAmazônia

MENU
Atualizado em 11/04/2019

CARLOS COSTA # A vida pode ser comparada a uma vela acesa

CARLOS COSTA # A vida pode ser comparada a uma vela acesa Carlos Costa é jornalista

A vida pode ser comparada à uma vela acesa, que derrama rugas à medida que queima e produz dores. Já as sinto no corpo. A vela se apaga algumas vezes e pode ser ressuscitada até que se apaga de uma vez quando encontra a morte e tudo se apaga para renascer junto a DEUS, se cumprindo a ordem natural dela, a vida, e se cumprindo à vontade D'Ele!


Em 1997, durante um dos vários governos de Amazonino Mendes e quando minha Yara Queiroz se formou em Direito pela UFAM, Manaus vivia com um racionamento de energia iniciado com 2/4/6 horas sem energia e o mesmo tempo com energia nas casas. Isso ocorreu devido à seca dos Rios do Amazonas e o surgimento de praias em alguns municípios e   também atingiu o Lago da Hidroelétrica de Balbina, uma das poucas fontes de energia para a capital. Naquela época, Manaus ainda não possuía Região Metropolitana e nem recebia energia da Hidrelétrica da Itaipu Binacional Hoje Manaus conta com quase 3 milhões de habitantes.


Naquele ano também havia poucas Faculdades particulares formando bacharéis em Direito à rodo, falam em extinguir o "Exame de Ordem". O fim do Exame permitirá que os novos advogados, mesmo com baixa qualificação consigam registros na OAB.  O “Exame de Ordem”, hoje seleciona o bom dos piores, mas com o seu provável fim permitirá que "analfabetos" diplomados consigam se registrar apenas com diploma.

 

Uma vez registrados como advogados, permitirá a participação deles em concursos públicos e podem se tornar juízes, promotores e procuradores. Com isso, em algum momento da carreira o processo de concursos públicos aos aplicadores do Direito terá que se afunilar de novo, mais do que já está para algumas carreiras dos aplicadores do Direito! Nessa semana voltou a faltar energia em vários bairros de Manaus e enquanto observava uma vela que queimava, pensei na vida como se fosse uma vela acessa. 

 

Contudo, se DEUS me permitir vivar um pouco mais; viverei, mas já sentido no corpo as queimaduras da cera que produz a vela ao queimar e criando as rugas pela idade, Porém, sinto que a vela está queimando muito rápido demais e, talvez, não possa viver ativo e produtivo por muito tempo como gostaria! Aos 59 anos de vida, vela só apagou durante os dez dias em coma e permaneceu outros 45 sem memória até que reacendeu novamente e me permitiu escrever o romance de ficção "CAUSA MORTIS"(em PDF na editora virtual www.todasasletras.com) classificado em concurso nacional e publicado no blogjornalismocarloscosta e no perfil do Facebook.

 

Enquanto a vela continuar acessa, permanecerei lutando pela vida. Ela já me deu amores e dores...mas sinto no corpo a solidão da esposa Yara, que também não pode ser chamado de santo. A vela está se exaurindo aos poucos! 

 

Não me arrependo do que fiz por amor; mas do que deixei de fazer em nome do amor! Por amor, vale tudo, até viver as desilusões amorosas, durante a curta, média ou longa queima da vela, como que pretendo que seja a queima da minha! 

 

*O autor é Jornalista*

Tags:

Sobe Catracas

CAROL ALVES, fisiculturista

Atleta amazonense conquistou 4º lugar no Campeonato Internacional de Fisiculturismo Toronto Pro Show, no Canadá

Desce Catracas

NIVALDO AQUINO, presidente da Câmara de Óbidos (PA)

Ele e outro vereador foram denunciados no MPPA por serem os mandantes de perfuração de poços clandestinos, sem licença ambiental