DeAmazônia

MENU
Atualizado em 10/04/2019

Silas confia que STF vai afastar 'acusação injusta' sobre supostos 'fantasmas'

Silas confia que STF vai afastar 'acusação injusta' sobre supostos 'fantasmas'

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O deputado federal, Silas Câmara, líder da bancada evangélica na Câmara dos Deputados, reagiu a notícia divulgada pelo o Antagonista, simutâneo  ao DeAMAZÔNIA, em  que a Procuradoria Geral da República pede a prisão dele por suposta lotação de funcionários fantasmas em seu gabinete.

 

Por meio de Nota, divulgada na noite desta terça-feira (09/04), Silas diz a denuncia feita pela PGR é injusta e não procedem.

 

De acordo com a defesa do deputado ‘os servidores lotados em seu gabinete e no escritório parlamentar em Manaus prestaram serviços de acordo com funções compatíveis a assessores parlamentares, conforme suas respectivas capacidades, sendo remunerados de acordo com as disposições e regramentos da Câmara dos Deputados’.

 

A defesa de Silas diz ainda que não houve cobrança de contrapartida de parte do salário dos servidores e e que o deputado confirma que o STF afastará a acusação feita pela PGR.

 

NOTA

Com relação a notícia, publicada nesta terça-feira, 9, sobre supostas irregularidades apontadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) no mandato do deputado federal, Silas Câmara, sua assessoria de comunicação esclarece:
 
 
As alegações finais da Procuradoria-Geral da República não procedem: os servidores lotados no gabinete do Deputado Silas Câmara e no escritório parlamentar em Manaus prestaram serviços de acordo com funções compatíveis a assessores parlamentares, conforme suas respectivas capacidades, sendo remunerados de acordo com as disposições e regramentos da Câmara dos Deputados.
 
 
Nenhuma contrapartida  foi cobrada desses servidores, apenas o cumprimento de seus deveres funcionais. Segundo o advogado Rogério Marcolini, o deputado confia que o Supremo Tribunal Federal saberá reconhecer esses fatos para afastar a acusação injusta que lhe é feita.

Tags:

Sobe Catracas

ALGACIR ANTÔNIO POLSIN, general do Exército

Assumiu o posto de chefe do Estado Maior do Comando Militar da Amazônia (CMA)

Desce Catracas

PATRÍCIA HAGE, ex-prefeita de Prainha (PA)

Justiça Federal condenou ela por improbidade administrativa, acusada de suposto envolvimento em esquema de desvio de verbas da Saúde