DeAmazônia

MENU
Atualizado em 03/04/2019

Exposição reúne obras de artistas amazonenses no Centro de Artes da UFAM

Caua recebe a exposição ‘Abstrato: formas e cores’ até 30 de abril, com entrada gratuita

Exposição reúne obras de artistas amazonenses no Centro de Artes da UFAM Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (Caua). Foto: divulgação

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Está em cartaz, no Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (Caua), a exposição ‘Abstrato: formas e cores’, que reúne importantes artistas visuais da atualidade amazonense. A exposição se estende ate 30 de abril, com entrada gratuita. O Caua está localizado na Rua Monsenhor Coutinho, 724, Centro, com horários para visitação, das 8 às 12h e das 14 às 16h30, de segunda a sexta-feira.

 

 

 

Composta por 14 telas da Coleção de Artes Visuais do Centro de Artes, a exposição é uma mostra de obras de artistas amazonenses, como Bernadete Andrade, Homero Amazonas, Eli Barcelar, Turenko Beça, Eduelson, dentre outros.

 

O conjunto de pinturas tem relação com a arte abstrata lírica ou geométrica.  Nestas obras, ideias e sentimentos dos artistas são expressos por meio de manchas, linhas e cores que permitem ao visitante diferentes sentimentos e interpretações.

 

Recentemente organizada e documentada, a exposição ‘Abstrato: Cores e Formas’ é mais uma oportunidade de divulgar e ressaltar a importância da Coleção de Artes Visuais do Caua, para a compreensão da produção artística amazonense. Vale ressaltar que a coleção já está em condições e disponível para estudantes, pesquisadores e público em geral realizarem suas investigações.

 

A exposição tem a curadoria de Regina Vasconcelos e Priscila Pinto. 

Sobe Catracas

GERSON MOURÃO, presidente da Fundação Cecon do AM

Médico mastologista foi homenageado com Medalha Ruy Araújo, na Aleam, pelo trabalho à frente do Centro de Controle de Oncologia do Estado

Desce Catracas

RAIMUNDO MARTINS, ex-prefeito de São Paulo de Olivença (AM)

Teve contas de 2012 reprovadas pelo TCE/AM e foi multado em R$ 2,1 milhão por diversas irregularidades