DeAmazônia

MENU
Atualizado em 15/03/2019

Sai a publicação no TRE/AM de cassação de Nenê Machado e Mantegão

Conforme Portal deAMAZÔNIA adiantou, prefeito e vice de Nhamundá foram cassados por compra de votos e perseguição a servidores; VEJA DECISÃO

Sai a publicação no TRE/AM de cassação de Nenê Machado e Mantegão Nenê Machado, prefeito de Nhamundá

DEAMAZÔNIA NHAMUNDÁ, AM - A decisão do juiz eleitoral, Marcelo Cruz de Oliveira, que cassou o mandato do prefeito de Nhamundá (a 375 quilômetros de Manaus), Nenê Machado (PROS) e do vice Cleudo Mantegão (PPL), foi publicada nesta sexta-feira (15/03) no Diário Eletrônico da Justiça. O magistrado atendeu parecer final do promotor de Justiça, Weslei Machado.  LEIA DECISÃO NO FINAL DA MATÉRIA.

 

Com EXCLUSIVIDADE, na terça-feira (12/04), o Portal DeAMAZÔNIA  divulgou a perda de mandatos do prefeito e do vice por compra de votos e perseguição a professores. Para a Justiça Eleitoral ficou configurado crimes de Capitação Ilícita de Sufrágio e Abuso do Poder Econômico, respectivamente. 

 

Para o magistrado, os crimes eleitorais influenciaram no resultado das eleições em Nhamundá, em 2016. Nenê Machado foi eleito prefeito com 5.413 votos contra 5.377 votos do adversário dele, Israel Paulain. A diferença foi de apenas 36 votos.

 

Os próprios aliados de Nenê Machado delataram tudo ao Ministério Público e Justiça Eleitoral, de como funcionava a prática de doações de material de construção em troca de votos. O prefeito é empresário do ramo de transporte de navegação e construção civil. Inúmeras testemunhas confirmaram o ato ilícito, e ainda entregaram cadernetas com lista de doações.

 

Na campanha de 2016, o prefeito também deslocou, de uma comunidade para outra, professores que declararam voto no candidato adversário dele, num ato de retaliação.

 

Nenê pode ainda recorrer da decisão ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, mas diante de testemunhas e provas materiais robustas, fica cada vez mais difícil reverter a decisão em 1ª instância no TRE.

 

E o inferno astral do prefeito de Nhamundá não para por aí. Há outras ações de suposto crime eleitoral contra ele que transmitam, em fase final, na Justiça de Nhamundá. E a denúncias, que o Ministério Público investigou são tão graves quanto o que motivou a primeira sentença de cassação proferida pelo juiz da Comarca.

LEIA TRECHOS DA DECISÃO DA JUSTIÇA ELEITORAL DE NHAMUNDÁ

deciaao 4

decisao2

decisao1

deciao 5

deciaao 3

Sobe Catracas

BEATRIZ RODRIGUES, tenista amazonense

Tenista de apenas 9 anos, foi homenageada na Aleam por representar o AM em competições nacionais e internacionais 

Desce Catracas

FRANCISCO SANTOS, ex-prefeito de Carauari

TCE-AM multou ele em R$ 6,2 milhões e reprovou as contas da Prefeitura por mais de 20 irregularidades