DeAmazônia

MENU
Atualizado em 27/02/2019

TCE-AM multa ex-prefeito de Amaturá em R$ 472 mil

Segundo conselheiro relator, Érico Desterro, contas de João Braga foram julgadas irregulares por uma série de impropriedades

TCE-AM multa ex-prefeito de Amaturá em R$ 472 mil João Braga Dias, ex-prefeito de Amaturá (Foto: Reprodução)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O colegiado do Tribunal de Contas do Amazonas julgou irregulares as contas do ex-prefeito de Amaturá, João Braga Dias, e o multou em R$ 472 mil, na manhã desta quarta-feira (27/02), em sua 6ª sessão ordinária.

 

De relatoria do conselheiro Érico Desterro, cujo voto foi seguido pelos demais membros do colegiado, as contas do município de Amaturá, de responsabilidade do ex-prefeito, as contas possuem uma série de impropriedades, entre elas atraso no envio de balancetes mensais ao TCE, falta de transparências, problemas em licitações e pagamento de obras não realizadas, o gestor foi condenado a devolver aos cofres públicos R$ 472 mil.

 

Parte desse valor — R$ 419,9 mil — será devolvido, em solidariedade, com as empresas Nortetec Construções Ltda.-ME e Praia Construção e Comércio de Materiais de Construção Ltda.

 

Nesta quarta (27), foram julgados ainda 37 processos, entre prestações de contas, tomada de contas, recursos, representações e embargos de declaração.

 

Outro órgão que teve as contas reprovadas, por diversas irregularidades, foi a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU). O relator das contas, conselheiro Ari Moutinho Júnior, considerou as contas de três gestores que administraram a SMTU em 2017 irregularidades e um regular.

 

Ao primeiro gestor e ordenador de despesa da SMTU, Audo Albuquerque da Costa (01/01/2017 a 21/5/2017), foi aplicada uma multa no valor de R$ 13,6 mil. O mesmo valor de multa — R$ 13,6 mil — foi aplicado a Marcel Alexandre da Silva (22/5/2017 a 10/7/2017) e a Ronaldo Brito da Silva.  Já o período de Franclides Correa Ribeiro (1º/12/2017 a 31/12/2017) foi julgado regular com ressalva, mas o gestor foi multado R$ 6,8 mil.

 

Contas regulares com ressalvas

Quatro gestores tiveram as contas aprovadas com ressalvas pelo colegiado do TCE: Sidney de Paula (Superintendência de Habitação do Amazonas, exercício 2010); Francisco Sousa (Fundação Alfredo da Matta, ano 2015); Bernardo de Paula (Fundação Municipal de Cultura, ano 2017) e Ordival Leite Rubim Filho. Dos quatro, só quem recebeu multa de R$ 5 mil foi Sidney de Paula.

 

Participaram da sessão do Pleno, presidida pela conselheira Yara Lins dos Santos, os conselheiros Érico Desterro, Josué Filho e Ari Moutinho Júnior, além dos auditores Alípio Reis Firmo Filho, Mário Filho e Luiz Henrique Mendes. O procurador-geral do MPC, João Barroso, completou o colegiado.]

 

A próxima sessão do Pleno está agendada para o próximo dia 1), no horário regimental, às 10h.

Sobe Catracas

ALAN ROBERTO, professor da rede pública estadual do AM

É idealizador de projeto que criou Canal no Youtube para promover interação entre alunos e divulgar ideias inovadoras, em forma de ajuda

Desce Catracas

FÁBIO CARDOSO, presidente do boi Garantido

Agremiação que propaga defesa da floresta e dos povos indígenas é omissa contra ataques do Governo Federal à Amazônia