DeAmazônia

MENU
Atualizado em 08/11/2017

Adjuto Afonso articula 'Pacto na Saúde' entre AM e Acre para atender cidades da fronteira

90% dos municípios do Sul do Amazonas são atendidos no Acre e em Rondônia

Adjuto Afonso articula 'Pacto na Saúde' entre AM e Acre para atender cidades da fronteira Deputado Adjuto Afonso recebeu comitiva do Sul do Amazonas

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O deputado Adjuto Afonso (PDT) promoveu um encontro entre o secretário de Estado de Saúde do Amazonas, Francisco Deodato, com o secretário de Estado de Saúde do Acre, Gemil Júnior, o secretário Adjunto de Planejamento e Gestao, também do Acre, Rui Arruda, e o secretário de Saúde de Boca do Acre, Manoel Barbosa, que estiveram em Manaus para propor um “Pacto de Saúde” entre os Estados, com relação aos atendimentos dos municípios de fronteira.

 

O parlamentar, que é de Pauini (a 915 km linha reta), na Calha do Purus, e conhece bem a realidade da região do Sul do Amazonas, comandou as articulações. Na última segunda-feira (6), ele foi procurado por uma comitiva formada por representantes do Acre e do município de Boca do Acre (a 950 km linha reta), pertencente ao Amazonas, que trabalham para regularizar a situação de atendimentos na fronteira, para não sofrerem penalidades.

 

“Nós temos municípios do Amazonas que fazem fronteira com outros Estados, por exemplo, Humaitá, faz fronteira com Rondônia, Boca do Acre, faz fronteira com o Estado do Acre, Pauini fica próximo do Acre e, consequentemente, tem acesso a Rio Branco por estrada, e esses atendimentos médicos são feitos por esse Estado. A Secretaria de Saúde do Acre vem prestar serviço em Boca do Acre, graças a Deus eles fazem isso, mas se não houver esse pacto, amanhã eles podem, inclusive, serem punidos pelo Tribunal de Contas ou mesmo o Ministério da Saúde, porque estão atendendo outros Estados”, disse o deputado em entrevista nesta terça-feira.

 

No mesmo dia o deputado Adjuto Afonso promoveu junto ao secretário de Saúde, Francisco Deodato, um encontro com a comitiva para tratar do assunto e encontrar uma solução que ampare ambas as partes. “Foi muito boa a conversa, o Dr. Deodato atendeu muito bem, fez questão de reconhecer o trabalho da equipe de saúde do Estado do Acre. Eu acredito que a partir daí a gente comece a costurar essa situação. É preciso que os governos façam esse pacto para que continuem os atendimentos sem prejudicar a população ou o Estado que está prestando esse serviço”, ressaltou o parlamentar.

 

De acordo com o secretario de Saúde de Boca do Acre, Manoel Barbosa, a população do município se desloca em massa para a capital vizinha. “Estamos lutando por essa pactuação entre os Estados, temos que regularizar a situação, buscar uma solução de imediato, tendo em vista que cerca de 90% dos pacientes dos municípios do Sul do Amazonas são atendidos em Rio Branco”, disse o secretário.

 

O deputado Adjuto Afonso agradeceu a comitiva do Acre pela prestação de serviço numa região do Amazonas ainda tão carente de logística adequada. “Quero agradecer ao governo do Acre pela boa vontade com a nossa população, pois a logística para a capital é complicada, e torna-se mais fácil os pacientes se deslocarem para Rio Branco. Vou acompanhar esse processo e com certeza trabalharemos para regularizar a situação”, finalizou o deputado Adjuto Afonso.

Sobe Catracas

DORA TUPINAMBÁ, jornalista

É a primeira mulher eleita presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amazonas e comandará entidade para triênio 2018/2020

Sobe Catracas

PINDUCA, cantor

Artista paraense recebeu da Assembleia Legislativa do AM o Título de Cidadão do Amazonas, autoria do do deputado Sinésio Campos, também nascido no Pará 

Desce Catracas

NORMANDO BESSA, prefeito de Tefé

Processo Seletivo com 800 vagas da Educação não oferece cargos a professores nas áreas de Artes/educação e Ensino Religioso, contrariando o artigo 26, da LDB, que pede obrigatoriedade. 

Desce Catracas

ANTONIO PEIXOTO, prefeito de Itacoatiara

Prefeitura está há um mês tentando asfaltar uma única rua da cidade, no centro comercial, e que gerou série de reclamação dos empresários locais

BASTIDORES